segunda-feira, março 08, 2021

Rúben Amorim e Sporting acusados de fraude

Ora cá está um bom exemplo de corrupção no futebol, mas não por parte do Sporting. Eu sou benfiquista, mas não suporto as tricas de bastidores, nas quais os melhores cérebros serão (suponho) os Presidentes do dois maiores clubes em Portugal.  O Rúben foi inscrito como treinador adjunto e não como treinador principal (mas ele não tinha o curso de treinador completo, o que também se passou no Braga, mas aí sem queixas).

Gosto do Rúben Amorim porque é (até mais ver) uma pessoa limpa que faz o seu trabalho e vive o jogo, não os jogos de poder e quezílias. O último que apareceu assim foi  Bruno Lage, de quem também gostava muito.

Se o Sporting ganhar este ano é porque merece. Tem estado a ser a equipa mais consistente. Triste é ver os poderes ocultos a tentarem atacar esta estabilidade a ver se conseguem recuperar pontos para as suas equipas. É muito desanimador que estas coisas sejam possíveis. O jogo em si tem muita beleza. Não fossem os presidentes, os agentes e o dinheiro. It's all about the money. 

Dia Internacional da Mulher

É pena que ainda tenha de existir um dia Internacional da Mulher para lembrar que os direitos são humanos e não do homem. Hoje o patriarcado vai andar a "encher" as senhoras de flores e dizer coisas politicamente corretas e para o ano há mais (não necessariamente mais direitos). 

Quando mais é demais

A Cristina Ferreira já foi alguém que eu admirei imenso, na sua totalidade, e que segui com regularidade e interesse no seu caminho até ao final da sua estadia na SIC. Acho que é uma brilhante empresária e tem uma sagacidade fora do comum para identificar oportunidades de marketing e de proveito. A queda, para mim, deu-se na forma como saiu da SIC em conjunto com a desonestidade intelectual dos seus argumentos. Passei, por causa disso, a tomar mais atenção ao fato de usar causas de direitos humanos para se promover (como é o caso da petição sobre bullying para poder promover o seu livro Pra Cima de Puta - coisa que poderia ter feito anos antes se realmente se interessasse pela causa, per se, uma vez que fez muitas entrevistas sobre bullying antes). Deixei de a apreciar do ponto de vista humano, mas continuo a achá-la uma extraordinária empreendedora e uma pessoa de fibra.

Não obstante, e como já referi aqui, acho que há demasiado ódio nas redes sociais. É uma estupidez, repito estupidez, ir à sua conta de IG para dizer que os programas em que aparece são maus e que é isto e é aquilo. Ser uma figura pública (qualquer uma) não justifica o ódio e a mesquinhez alheia contra si. 

Se não gostam da Cristina Ferreira não vejam os seus programas, não vão às suas redes sociais, não a comentem. Obliterem. Quem tiver opiniões a dar que as dê nos seus espaços pessoais, se os tiverem, ou ignorem de todo. 

Chega de ódio gratuito. Já é demais. Todos temos direito a uma opinião, mas não temos necessariamente de a dar a "torto e a direito" quando ela nada acrescenta e só incita à malvadez e à negatividade. A maior forma de desprezo é o não querer saber e cada um seguir com as suas vidas cheias (ou não) de significado próprio . 

quinta-feira, março 04, 2021

Morte

No dia 28 de fevereiro morreu um rapaz que eu conhecia. Era um bom miúdo e talentoso. Morreu de paragem cardiorrespiratória aos 26 anos. Automaticamente veio-me à cabeça a condição que me levou a ser operado ao coração em Outubro e que me livrou de um destino idêntico. 

Chorei um bom bocado por causa da morte dele, achei um desperdício enorme. Acho sempre um enorme desperdício o término prematuro de uma vida. Ao mesmo tempo, não pude deixar de me sentir enormemente grato, por ter tido a oportunidade de continuar a viver. 

domingo, fevereiro 28, 2021

Negatividade

Não gosto do conceito de "dislike" nas redes sociais. A culpa não é das redes em si, mas da democratização das mesmas e de uma utilização menos boa das ferramentas disponibilizadas. 

Há cerca de uma semana a Pink publicou um dueto com a filha de 9 anos. Mil e setecentas pessoas colocaram um "dislike" no vídeo que está no canal da Pink. É preciso ser-se muito autocentrado e/ou amargo para ir ao site da publicação e manifestar-se contra. Não sendo das minhas canções favoritas, vejo um momento bonito entre uma mãe e uma filha e isso, só por si, parece ser algo a louvar e não o contrário.

Há coisas que afetam o bem ou espaço comum e, por conseguinte, afetam a nossa e é natura que tomemos uma posição. Mas em coisas pequenas que não interessam ao bem maior, é apenas mesquinho.

É mesquinho ir ao lugar de outra pessoa apenas para acabrunhar ou espalhar negatividade. Parece um lugar comum, mas já os Beatles diziam "all you need is love".


segunda-feira, fevereiro 22, 2021

Dobrados ou quebrados?


“Each moment of worry, anxiety or stress represents lack of faith in miracles, for they never cease.”

by T.F Hodge


ps. Não obstante, embora os milagres não deixem de existir, não creio que no esquema geral dos acontecimentos o atual rácio de milagres seja o suficiente para salvar a época em que vivemos. A humanidade está produzir mais "escuridão" do que "luz". 

domingo, fevereiro 21, 2021

A todas as pessoas que praticam atos de bondade

"My wish for you is that you continue. Continue to be who and how you are, to astonish a mean world with your acts of kindness. Continue to allow humor to lighten the burden of your tender heart."

by Maya Angelou

quinta-feira, fevereiro 18, 2021

Desenterrar os anos 90 - 9


Jump they say - David Bowie

quarta-feira, fevereiro 17, 2021

Piada Seca - LX

O que é um ponto vermelho em cima de uma árvore?

É um morangotango.

Piada Seca - LIX

O que foi advogado da galinha fazer à esquadra da polícia ?

Foi soltar a franga.

terça-feira, fevereiro 16, 2021

João Caupers - Sinto vergonha alheia

João Caupers foi nomeado Presidente do Tribunal Constitucional e isso deixa-me bastante preocupado pelo tipo de pessoas que a Justiça portuguesa coloca na sua cúpula. Não o conhecia, mas fiquei a conhecer graças a uma notícia feita pelo Diário de Notícias sobre as suas posições contra o que denomina de "lobby gay". 

Porque vivemos num país livre, os cidadãos podem pensar o que melhor lhes aprouver, mas certas profissões requerem uma isenção e integridade que não lhe reconheço, a julgar por uma certa linha de afirmações do mesmo proferidas em 2010.

Passo a citar:

"Uma coisa é a tolerância para com as minorias e outra, bem diferente, a promoção das respetivas ideias: os homossexuais não são nenhuma vanguarda iluminada, nenhuma elite"

"Nas sociedades democráticas são as minorias que são toleradas pela maioria – não o contrário" 

(achei esta afirmação bastante chocante)

"Os homossexuais merecem-me o mesmo respeito que os vegetarianos ou os adeptos do Dalai Lama. (...) Estou convencido de que existem mais vegetarianos do que homossexuais em Portugal – e, porventura, até mais adeptos do Dalai Lama. Não beneficiam, porém, do mesmo nível de acesso aos jornais, aos microfones das rádios e às objetivas das televisões." 

(sim, o código penal nunca condenou adeptos do Dalai Lama e vegetarianos. E, nas sociedades ocidentais, ninguém é espancado, perseguido ou discriminado por pertencer a estes grupos).

“A minha tolerância para com os homossexuais não me faria aceitar, por exemplo, que a um filho meu adolescente fosse ‘ensinado’ na escola que desejar raparigas ou rapazes era mera questão de gosto, assim como preferir jeans Wrangler aos Lewis [sic] ou Sagres a Superbock" 

(mas este senhor ainda está na fase em que se pensa que se é homossexual porque apetece?)

Como nota final adianto que o Sr. João Caupers pensa ainda que as campanhas contra a discriminação com base na orientação sexual são nefastas porque promovem os ideais homossexuais (seja lá o que isso for).

Só posso dizer que sinto muita vergonha por este estado de coisas. Já em outras alturas escrevi sobre polémicas originadas por juízes, que os revelam como misóginos e desrespeitadores de liberdades fundamentais. 

Não deveriam ser os juízes os guardiães dos princípios mais básicos de integridade e honestidade de carácter e intelectual? É mais uma desilusão, mais um baixar de olhos a que me obrigo, pela fraca qualidade que reconheço às nossas elites políticas e às nossas chefias. 

segunda-feira, fevereiro 15, 2021

E vão 6 anos

Hoje, eu e o Macaquito fazemos 6 anos de vida comum. Que continuemos a somar e a crescer em conjunto. Nem sempre é fácil (às vezes até é bem difícil), mas encontramos sempre um ponto de equilíbrio e para além do gostar, que nunca nos falte a comunicação.

quinta-feira, fevereiro 11, 2021

Desenterrar os anos 70 - 7


Don't stop 'til you get enough - Michael Jackson

Hoje saí de casa

Por motivos de trabalho tive de estar presente numa conferência de alto nível o que justificou vestir um fato e colocar um laço. Soube tão bem ter outra coisa vestida que não o fato de treino ou o pijama, e apanhar vento na cara durante os 20 minutos do trajeto de mota até ao CCB.

O mundo é pequeno

Fui ontem ao oftalmologista. Ainda tenho 90% de visão no olho direito, o que é uma notícia maravilhosa. Uma vez que a doença que tenho só se cura com transplante de córnea. 20 anos depois do diagnóstico é um feito.

Mas este post não é acerca disso, e sim sobre ter ficado a saber que o meu oftalmologista é membro do Labour Party da Nova Zelândia - o partido do meu ídolo político Jacinda Ardern.

Ele visitou a Nova Zelândia e conheceu o trabalho dela. Como também não se identifica a política portuguesa, passou a contribuir com 100 dólares  para o partido de alguém que considera fazer a diferença na vida das pessoas. 

Achei uma excelente ideia ajudar quem tem visão, mesmo que fora do nosso país. Se a semente crescer por aquelas bandas pode ser que chegue cá.

terça-feira, fevereiro 09, 2021

O Limão continua a ser o gato mai' lindo

 


O amor que eu tenho por este bicho não dá para descrever. É da família. É o nosso mais que tudo cá em casa, e daqui a pouco faz 7 anos que 15cm de gato (com 1 mês mal cumprido) vieram cá parar. Ámen.

Também temos políticos com dignidade (mesmo que na reforma)

O General Ramalho Eanes foi um homem extraordinariamente importante para a manutenção da estabilidade no país depois da revolução de 1974. Dado o seu carácter discreto nunca reclamou para si essa atenção, como por exemplo Mário Soares.  Foi o único Presidente da República que recusou muitos dos privilégios vitalícios do cargo, assumindo que apenas cumpriu o seu dever como português. 

Mais uma vez, igual a si mesmo, recusou receber a vacina contra o COVID, privilégio dado aos Conselheiros do Estado, dizendo que aguardará a sua vez como cidadão octogenário que é. 

Tenho pena de que Ramalho Eanes seja uma figura um tanto obscura para os portugueses, porque a dignidade e decência também se aprendem por exemplo.  

Jacinda Ardern no seu melhor (aprendam políticos portugueses)

 "I really rebel against this idea that politics has to be a place full of ego and where you're constantly focused on scoring hits against each one another. Yes, we need a robust democracy, but you can be strong, and you can be kind." 


Jacinda Ardern, Primeira Ministra da Nova Zelândia

segunda-feira, fevereiro 08, 2021

E o estado de cansaço é tanto

E o estado de cansaço é tanto que a cabeça já não funciona bem. Não sei se vai continuar a ser sustentável trabalhar 7 dias por semana. O trabalho tem de se fazer e aparecem continuamente novas coisas para serem feitas. É a característica de estar na instituição onde estou, mas começo a "bater mal".  

Quando acordo (após um domingo) a sentir que estou sugado de energia e quando já não consigo desejar pelo fim de semana porque ele não representa folga, é porque algo há de muito errado. Haverá quem o consegue  fazer, mas eu percebo claramente que não nasci para isto. Não sou carreirista e a vida não faz sentido com esta falta de bem-estar.  

O tipo de trabalho que faço é vibrante e estar numa posição onde podemos mudar/melhorar a vida das pessoas é sempre uma motivação, mas a realidade é que não faz sentido nenhum estar a trabalhar para o bem coletivo em detrimento da esfera pessoal que deixou, praticamente, de existir. Tudo tem de ter um equilíbrio. 

Tenho aprendido muito. Trabalho a apoiar uma pessoa brilhante. Mas o corpo e a mente começam a dizer-me que talvez o caminho tenha de ser outro.    

Quando o Governo nos atira areia para os olhos

Sou o primeiro a defender o comportamento exemplar do nosso Governo durante a primeira fase da pandemia. O que se passou no Natal, e de forma alargada durante o mês de Dezembro, foi culpa das pessoas por não serem responsáveis. Verdade, não posso estar mais de acordo. Mas não só. Não gosto quando o Governo se esquecer de reconhecer que não tomou as medidas certas, exatamente porque as pessoas não são confiáveis. O que se passou em Dezembro, passou-se com a conivência Governo e com o desejo de ser popular (num momento em que os dados apontavam para uma descida dessa mesma popularidade). 

O Ministro Pedro Siza Vieira falou ao The New York Times como se a conivência do Governo não existisse, pelo menos naquele momento. Esse facto deixa-me irritado. Em tempos de crise, o desejo de ser popular é sempre um mau conselheiro. Este confinamento, em que vivemos agora, é necessário e não é popular. Contudo, não teria sido necessário se os "brandos costumes" tivessem ficado fechados numa gaveta. 

quarta-feira, fevereiro 03, 2021

Desenterrar os anos 80 - 7


Twist in my sobriety - Tanita Tikaram

Glee

O meu namorado recomeçou a ver o Glee e eu já não me lembrava do deliciosa que era esta série. Sabe tão bem uma dose de parvoíce e de leveza, nestes tempos cinza que vivemos. As pessoas precisam de começar a levar-se menos a sério. Umas gotas de humor de nunca fizeram mal a ninguém.  

Minju Kim

A designer Minju Kim foi a vencedora do programa Next in Fashion que passa na Netflix. Fiquei tão grato por ver a coleção final que ela apresentou. Deixou-me um enorme sorriso no rosto. Mais do que a moda em si (verdadeiramente estupenda), pensei no tipo de pessoas que vestiria este tipo de roupas e fez-me sentir bem.  Acho que gostava de viver nesse mundo quase mágico da Minju Kim, onde imagino que as pessoas sejam felizes, empáticas, generosas, coloridas, criativas. 

Adoro estas pessoas que sonham e que têm a capacidade de fazer os outros sonhar. Obrigado Minju.


The Walking Dead

Recomecei a ver a série a semana passada. É curioso ver como os comportamentos humanos retratados se assemelham ao que estamos a viver com a pandemia Covid. Obviamente que a escala é muito mais pequena, mas se "aumentássemos o volume" era a mesmíssima coisa. Ainda bem que não estamos a viver um apocalipse zombie.

terça-feira, fevereiro 02, 2021

Ontem a falar com um ex-colega

Fiquei a saber que a culpa do que se passa em Portugal em termos de COVID é tudo culpa do Governo. Não apenas o atual, mas todos os governos que já tivemos. Nada disto se passaria se o nosso Sistema Nacional de Saúde tivesse sido desenvolvido e os governos nele tivessem investido. Como ele me explicou a culpa nunca é do povo. E o povo tem de estar contra as regras e contra o confinamento. Não se pode pedir às pessoas que tenham de mudar a sua vida porque o Governo não investiu em hospitais e em médicos. Ele próprio não anda de máscara. É um abuso fazer isso com as pessoas. 

Eu respondi que tudo bem, mas que temos um problema grave de cada vez mais contágios e com um volume de mortes enorme. Como é que podemos evitar isso sem um confinamento. Era rapidamente me respondeu, que o confinamento é uma mentira e uma não solução. Porque uma semana depois continuava a contaminar-se pessoas. Eu disse que era natural porque as cadeias de contágio estavam ativas e precisaríamos de umas 3 semanas para que elas começassem a quebrar. 

Ele disse-me que eu ando a dar muita importância ao que se diz na televisão e os telejornais não passam de uma manobra de manipulação das massas. Ele vai à Internet buscar a sua própria informação e sabe que isto é tudo uma manobra do Governo para roubar mais aos cidadãos e ficar com o dinheiro dos nossos impostos. E no futuro somos nós que vamos pagar a fatura com os nossos impostos.

Ainda rematou que agora anda tudo à espera do milagre das vacinas, mas isso também é uma mentira porque o vírus muta e elas não servem para nada. É tudo o forma de ficarem com o nosso dinheiro. Além do mais toda a gente sabe que as vacinas, eme geral, não fazem bem à saúde.

Eu terminei a dizer «ah, de facto não estava a ver as coisas dessa forma». E a realidade é que continuo a não ver, e felizmente nunca o verei dessa maneira. Eu sei que foi há já muito tempo, mas seria bom manter alguma noção sobre o que era a vida das pessoas antes das vacinas e dos antibióticos. 

domingo, janeiro 31, 2021

Frases que nunca perdem o sentido

We may have all come on different ships, but we're in the same boat now.

by Martin Luther King Jr.


Ps. Uma maravilhosa metáfora para a existência. 

sábado, janeiro 30, 2021