segunda-feira, setembro 26, 2022

80 anos

A minha mãe fez ontem 80 anos. Acho que ela nunca pensou que iria viver assim tanto (e ainda estará cá mais uns 10 ou 15 anos, estou convencido). Ontem organizei-lhe o jantar de aniversário num restaurante bem giro em Lisboa, com os poucos, mas bons, da vida dela, e ela estava radiante. Sei que lhe fabriquei uma memória excelente e é isto que eu quero que ela tenha nestes próximos anos que - naturalmente - se verão acompanhados por um decréscimo da qualidade de vida, mais não seja pelas artroses - porque de resto tem mais saúde que eu.

Por falar em saúde vou ter de lhe contar da minha. Este fim-de-semana era sobre ela e não quis estar a acrescentar ruído, hoje já ficará com mais uma preocupação.

Deve ser do mercúrio retrógrado

Diz que o Mercúrio retrógrado influencia o funcionamento das máquinas fazendo-as falhar. Parece que este trânsito fez-me falhar a máquina na sexta-feira. Depois da operação há 2 anos pensei que estaria tudo bem, mas, aparentemente, vou ter de repetir o procedimento porque se formou de novo um propulsor de fibrilhação auricular e a minha saúde voltou a estar insegura. Mas acredito que com alguma paciência volte a estar bem dentro de uns meses.

sexta-feira, setembro 23, 2022

Coisas que se ouvem

O meu grupo de amigos do 9º ano reencontrou-se e temos mantido o contacto via whatsapp. Um dos rapazes ao saber que eu era gay - depois de perguntar à minha melhor amiga - teve uma reação curiosa "a minha filha havia de gostar o conhecer, ela é uma adolescente muito esquisita". Na realidade, não quero saber o que isto quer dizer, fica apenas pelo 'curioso'.

Bilhete para o Paraíso

Este filme é uma comédia romântica inócua - o que se pretende que as comédias românticas sejam - que nos traz as peripécias de um casal desavindo ao tentar evitar que a filha case com o seu amor de verão. Não sendo nada de inovador, tem paisagens lindíssimas e podemos perceber o que é "star quality" nas prestações de Julia Roberts e George Clooney. Serão dos últimos dos atores carismáticos. No geral o filme é bastante agradável e entretém. 

13/20

sexta-feira, setembro 02, 2022

Paradise Highway - Perseguidas

Um filme interessante que explora as relações familiares e a fidelidade das nossas emoções. O filme passa-se nos meandros da camionagem, sendo a protagonista uma camionista bem desempenhada por Juliette Binoche que nunca desilude. É quase um road movie policial, mas poderia haver um pouco mais de impacto no expectador, poderiam existir cenas mais "vigorosas" e menos contemplativas. 

14/20

quarta-feira, agosto 31, 2022

Licorice Pizza

Não percebi o "hype" acerca deste filme. Gostei muito da caracterização de época, da cenografia, do facto dos atores principais não obedecerem ao cânones de beleza de Hollywood. O argumento é possível, é um filme sobre o coming of age de um rapaz de 15 anos que se apaixona por uma rapariga bem mais velha. Os anos 70 eram suficientemente loucos para isto, mas não me cativou em nada o filme. Não me prendeu, nem as participações especiais do Sean Penn e do Bradley Cooper. Não me vai ficar na memória.

12/20

O Pai

Este filme não foi fácil para mim. Comecei a vê-lo, por duas vezes e abortei. A fragmentação que me parecia difícil de digerir enquanto "liberdade artística vanguardista" é na realidade a viagem pela demência de um homem de 80 e poucos anos. Este homem teve uma vida, filhas e está a ficar incapacitado. 

No final, faz-se luz para o expectador. Está muito bem feito e exemplifica a luta de quem está a ficar com uma mente frágil e, ao mesmo tempo, a luta de quem acompanha (neste caso a filha). 

É uma viagem emocional pesada. Acho que há bastante tempo não chorava assim no final de um filme. Achei lindo exemplo de conforto final, aquele que nunca deixa de ser o mais bonito dos confortos.

17/20

Desenterrar os anos 90 - 23


Be my baby - Vanessa Paradis

Desenterrar os anos 80 - 24


Physical Attraction - Madonna

domingo, agosto 28, 2022

Para mais tarde recordar

Quando uma (possível) infecção urinária se converte num problema. 

quinta-feira, agosto 25, 2022

Quem disse que as mulheres no mundo ocidental têm o mesmo estatuto dos homens?

Acho inacreditável toda esta novela em volta da Primeira Ministra da Finlândia. Para além de a salutar fronteira entre espaço privado e o espaço público ter sido violada, há muitas outras considerações que devem ser feitas sobre a hegemonia e o privilégio masculino, assim como o duplo padrão de comportamento. É lógico, e lamentável, saber que se fosse um homem nada disto estaria a passar-se. É uma chamada de atenção para o muito que ainda há a fazer em matéria de igualdade de direitos ou de simples cidadania. 

No geral, todo este processo tem-me causado muito nojo.

quarta-feira, agosto 24, 2022

Pensamento aleatório

 Big mess (period).

Descobri uma nova música que acho estupenda


Low Down - Venbee ft Dan Fable

Avisos à navegação




 

KIngsman - O início

O primeiro filme foi engraçado e entreteve, o segundo seguiu uma linha kitch e de certa forma foi um ponto acima, o terceiro filme do franchise soube a pouco. Como era o filme em que se explicava o início, acho que teria merecido mais magia, ter argumentos mais fortes. De qualquer forma não deixou de entreter também, ofereceu doses de drama que talvez não tivéssemos conseguido nos outros dois. Mas desapontou-me de alguma maneira.

13/20

terça-feira, agosto 23, 2022

Adoro a vida no campo

Adoro estar aqui pelo campo. A casa de Lisboa não está habitável e Constância torna-se o refúgio por excelência. Nem preciso sair de casa, tenho tudo nas traseiras da casa. Quem não está a achar piada nenhuma a isto é o Limão que detesta estar fora do poiso dele. Nem lhe vou explicar que vai ser até ao final de Setembro ou ele faz greve de fome.

terça-feira, agosto 16, 2022

14 de Agosto

14 de Agosto deu-me a maior esperança e logo a seguir um murro no estômago. Mostrou-me que tenho muito que aprender, nomeadamente admitir que não controlo absolutamente nada. A única coisa que posso controlar é a minha capacidade de integrar sem sofrimento o que se me depara. Mas não vou embora do acordo que aceitei. É para aprender, então vamos a isso. 

O Homem do Norte

Um filme sobre vikings baseado na lenda de Amleth, escrita pelo historiador dinamarquês Saxo Grammaticus - que inspirou a obra Hamlet. O filme está recheado de estrela e é bom rever Björk no papel de uma das Bruxas Nornas. Este filme épico de vingança está muito bem dirigido e devemos dar os parabéns pelo classicismo associado. Não houve a tentação de americanizar ou modernizar o filme para chegar a mais audiências. Os textos são em linguagem bastante clássica (embora, às vezes, acusem demasiada formalidade), com uma direção de arte a relembrar bem o início do século X. Não gostei do final, mas admito que a história poderá ser o que é. Gostaria de ter visto um dos personagens mais bem desenvolvido, assim como o significado da sua relevância futura. Afinal é o motivo da vingança ter de ser executada.

13/20

quarta-feira, agosto 10, 2022

Mais uma mudança

Um homem pode aguentar - até certo ponto - um manancial de mudança, começo a ficar levemente mareado. Quero manter a fé de que falei outro dia num outro post. Desta vez acontece uma mudança não por crença, mas por deixar de acreditar em algo e de ser incapaz de estar num lugar em que não acredito - a fingir que sim. Quando percebemos que caímos num círculo vicioso do qual não conseguimos fugir temos de ter a coragem de tomar decisões difíceis que a razão já interiorizou, mas que a emoção ainda não reconheceu. 

“Provavelmente só se separam os que levam a infecção do outro até aos limites da autenticidade, os que têm coragem de se olhar nos olhos e descobrir que o amor de ontem merece mais do que o conforto dos hábitos e o conformismo da complementaridade.

A separação pode ser o ato de absoluta e radical união, a ligação para a eternidade de dois seres que um dia se amaram demasiado para poderem amar-se de outra maneira, pequena e mansa, quase vegetal

Só eles dois sabem que o que se sente não se trata — e é em nome deste intratável que um dia nos fez estremecer que agora nos separamos. É uma forma de amor inviável, que, por isso mesmo, não tem fim."

by Inês Pedrosa

A cidade perdida

Mais um comédia romântica de ação que tem alguns momentos engraçados. Curiosamente foi uma das cenas onde é relatada a razão da lenda de um amor antigo que mais me cativou. A Sandra Bullock a fazer o que costuma fazer e um Brad Pitt em bom como sempre. Posto isto, pouco mais. 


12/20

Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo

Mais um filme sobre a temática do multiverso que pretende ser uma comédia e tudo em todo o lado e ao mesmo tempo. Resultado, uma grande porcaria. 

7/20

segunda-feira, agosto 08, 2022

O quadro maior das coisas

Este fim de semana que passou estreei a nova casa de família, um refúgio no campo a 1h20 de Lisboa, perto do rio e com piscina. Foi num dos períodos em que estava na boia a apanhar sol que tive uma espécie de epifania - como a epifania do ovo estrelado há anos atrás - sobre como as coisas se estavam a organizar na minha vida apesar das dores provocadas pelas mudanças dos últimos 3 anos. 

Já consegui mais dos meus objetivos do que aquilo que inicialmente pensava. O novo (e desejado trabalho) também está aí à porta. E as coisas que não estão vão sendo aceites com uma nova calma que o regresso à boa forma física/psicológica me tem proporcionado.

A vida está a acontecer e tenho de aproveitar as bênçãos que aparecem - nem sempre visíveis num primeiro olhar.  Estou a ganhar fé de novo. Tomara que se mantenha este sentimento. 

segunda-feira, julho 18, 2022

Desenterrar os anos 70 - 22


In the summertime - Mungo Jerry 

Ando aqui de coração apertado

Para saber qual o resultado dos concursos a que concorri. Sei que agora é uma fase de férias, mas há ali dois ou três onde gostaria bastante de ficar. Parece-me que poderia ser feliz por ali, um deles até me daria mais uns 200 euros limpos ao fim de 1 ano, porque implica mudança de carreira na função pública. Quem sabe, quem sabe. 

É continuar à espera. 

Era uma vez...

Um rapaz com uma brutal moca de sono porque anda a dormir pouco por causa de uma dor de dentes que, estando a ser resolvida, mói como o caraças. 

sexta-feira, julho 15, 2022

The Gray Man - O Agente Oculto

Gostei do trailer e fui ver o novo filme do Ryan Gosling, recheado de ação e com um Chris Evans num papel que não é assim tão normal a mostrar um certa versatilidade. O filme em si não é extraordinário, mas é uma história que segue um desenrolar coerente e com muita ação, humor e bons efeitos especiais. Passei muito bem a noite. Diverti-me.

14/20

Já diz a Maria Bethânia

O primeiro amor passou,

O segundo amor passou,

O terceiro amor passou,

...

O coração continua!

As boas pessoas podem ser manipuladoras?

Podem sim. A questão é saber defendermo-nos disso. Quando uma pessoa é objetivamente má é mais fácil termos as "antenas" em funcionamento, mas quando a pessoa é querida, fofa... é mais complicado. 

Li hoje um artigo bastante interessante sobre manipulação exercida por pessoas que não têm má índole, mas que mesmo assim podem infligir danos complicados no outro e na sua forma de ser e de estar.

Eu tenho a tendência para atrair manipuladores e ainda não percebi bem porquê. Pessoas que são boas, mas que têm um "lado B". O meu problema é quando o manipulador é alguém que eu gosto muito, aí estou efetivamente desprotegido (porque eu e os meus afetos somos uma desgraça) acabo por perdoar tudo vezes demais ou sofrer algum gaslighting.

Será que nunca poderemos ter uma relação com alguém que é manipulador ou apenas temos de saber lidar com as suas manipulações? Penso que ultimamente estou mais preparado para isso, para não ceder.

E quando somos arrastados..

E quando somos arrastados para o break up do amigo com o namorado e não podemos tomar preferências (porque a preferência não seria favorável ao amigo e ele não tem capacidade para interiorizar uma crítica construtiva porque se vai sentir mal e não consegue aguentar essa emoção)?

quarta-feira, julho 13, 2022

Os 40

Muito se fala da ternura dos 40,  mas no meu caso entraram com a suavidade de pregos a escorregar pela garganta e arriscam-se a sair como vidros a passar pelo rabo. Mas numa nota positiva diria que esta década poderá ser apenas uma década de purga e que os 50 entram perfeitinhos e acaba-se a turbulência.

Na realidade os meus anos mais felizes foram ali entre os 33 e os 40, com especial ênfase para os 36-40. Mal sabia eu que aqueles seriam (até agora) os anos mais felizes, mais excitantes e mais ternos da minha vida. 

quinta-feira, julho 07, 2022

Fernando Pessoa e o gato

Gato que brincas na rua
Como se fosse na cama,
Invejo a sorte que é tua
Porque nem sorte se chama.
Bom servo das leis fatais
Que regem pedras e gentes,
Que tens instintos gerais
E sentes só o que sentes.
És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.

-Fernando Pessoa

Coisas que me fazem rir

O Chega publicou uma fotografia do seu líder com o hashtag #orgulho. Imediatamente as redes sociais assumiram as cores do Pride LGBT e ele andou a ser replicado nas redes associado ao orgulho gay. Adoro! Esta fez-me rir. 

Política sucks!

Rosário Farmhouse é uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma. De nomeação política em nomeação política é um exemplo de compensação por ligação ao aparelho PS, já a competência e o brilhantismo cof...cof... Não estou com isto a dizer que o PS é o único a compensar "amizades", chegue o PSD ao governo e é vê-los a sair de debaixo das pedras. 

terça-feira, julho 05, 2022

Coisas que me fazem pensar


Como é que ele conseguiu desapertar as calças?

 

Comparações




 

Redução de ansiedade

O trabalho com a psicóloga começa a dar alguns frutos. A ansiedade que algumas situações me provocam foi bastante reduzida e consigo de alguma forma travar o pensamento que provoca a escalada de emoção. Não sabia que uma emoção dura apenas até 90 segundos. São os pensamentos que as alimentam. Se matamos o pensamento matamos a emoção. Isto é bom para ser aplicado a todas as emoções desconfortáveis.