terça-feira, fevereiro 03, 2015

Leonor

Há seis anos atrás nasceu a minha única sobrinha e nunca pensei que pudesse amar uma pessoa desta forma. Tal como como os gatos, nunca fui muito de crianças. Eles gostavam de mim vá-se lá saber porque e para mim se eles estivessem sossegados no outro lado da sala era um descanso. 

O meu afilhado veio mudar isto há oito anos, mas a minha sobrinha chegou como um tremor de terra para me desfazer-me em bocadinhos para voltar a construir-me como uma pessoa melhor (e o Limão, já se sabe, veio terminar o trabalho). Subjectivamente é a minha menina. Objectivamente, é uma criança cheia de luz, educada, enérgica, ternurenta, imaginativa. A minha sobrinha emociona-me, porque é mágica. Não tenho outra expressão para ela...mágica. O que ela nos faz é delicioso. É como um filtro que nos limpa de tudo. 

Estou uma hora com a minha sobrinha e por muito chato ou difícil que seja o dia, não consigo deixar de me sentir limpo e feliz. A minha sobrinha tem uns olhos que nos abraçam. Não há ninguém que não se maravilhe com os enormes olhos dela. Eu maravilho-me todos os dias em que tenho a oportunidade de vê-la e de estar com ela. 

O meu irmão e a minha cunhada estão a fazer um trabalho estupendo. 


8 comentários:

Pedro disse...

Que linda! E tem o nome da minha mãe :)

Anónimo disse...

É uma das maravilhas que as crianças nos proporcionam. ^^

zehtoh disse...

Espero que, passados seis anos, já tenha mais dentinhos ;)

silvestre disse...

@zehtoh: dois ou três :-p

silvestre disse...

@joão: true

silvestre disse...

@pedro: é uma boneca :)

Anónimo disse...

Tão linda e expressiva *.*

N a m o r a d o disse...

Que tio babado! E vê-se que ela te faz muito bem :)