terça-feira, julho 07, 2020

Judeus Sefarditas e a nacionalidade portuguesa

Acho bem que a lei seja restringida a famílias que tenham efectiva ligação a Portugal. Não acredito que estejamos a reparar a história com isto e gerou-se, apenas, uma forma fácil de obter um dos passaportes mais apetecíveis no mundo. O passaporte português e o 4º passaporte mais valioso para entrada em países terceiros.

Eu próprio sou descendente de judeus por linha paterna, mas não suporto a ladainha de vitimização da comunidade judaica (genericamente falando) e a tentativa constante de rentabilizar os horrores que o povo judeu sofreu no passado. Há muitos povos no mundo a sofrer horrores indescritíveis e outros que foram (e continuam a ser) exterminados. Mas falamos de povos africanos, asiáticos, e sem o poder económico e mediático do povo judeu. 

Diz o provérbio popular que "quem não chora não mama", mas começo a ficar um pouco farto tanto do choradinho, como do paternalismo ocidental para com esta população. 

Gostava que houvesse verdadeira justiça no mundo, para todos os povos, e não privilégios para quem tem mais recursos e capacidade de organização.  Se houvesse justiça para as pessoas todos estávamos incluídos, porque todos somos pessoas. 

segunda-feira, julho 06, 2020

Um frase importante

«Dar direitos a todas as pessoas, não retira direitos a ninguém.»

A prima do meu namorado

Uma das primas mais novas do meu namorado perdeu no espaço de um ano duas pessoas pessoas estruturais na sua vida: o avô e a mãe. Basicamente foram estas pessoas que a criaram e que lhe davam estrutura emocional. A miúda, que ainda tinha 14 anos, perdeu o ano escolar e ficou no meio de uma decisão entre ir viver com a irmã mais velha ou ficar perto daquilo que conhecia (mas ao cuidado de uma avó bastante castradora). Escolheu a segunda opção, mas tem andado um pouco sem referências e numa tensão que não lhe tem deixado muita objectividade quanto à vida. Parece que é como se o futuro não importasse. Não quis seguir uma via de estudos, mas concordou em tirar um curso técnico-profissional a partir do 10º ano. Ao saber disso,  tenho dedicado alguma atenção extra à miúda e tentado que ela invista seriamente no que vai fazer e se for boa, quem sabe, poder no final desta aventura voltar ao caminho da universidade.

É uma miúda inteligente e com bons princípios (parece-me) e por isso poder fazer algo para lhe alargar os horizontes e permitir que ela tenha mais opções de escolha e de decisão é algo que me faz bastante sentido. Às vezes o facto de alguém se ter importado pode fazer a diferença na vida de uma pessoa, em especial na adolescência. Quem sabe isso possa acontecer neste caso, o que eu sei é que não vou desperdiçar a oportunidade de poder fazer essa diferença, mas sendo um investimento a fundo perdido. 

Durante o almoço

Durante o almoço de hoje fiquei a ouvir tudo  que se falava no restaurante sobre a COVID e é incrível a desinformação que existe. Também é evidente as diferenças entre pessoas que coabitam o mesmo espaço, aquilo que elas estão dispostas a ceder, aquilo que elas conseguem tolerar. 

Já percebi que:
- há gente que acredita que a vacina do COVID tem um microschip para nos controlar;
- há pessoas que se recusam a ficar confinadas (porque não nascemos para isso);
- há pessoas que não fazem ideia do que se passa no país em termos de prevenção;
- há pessoas que acham que existe medicação para curar o vírus nos hospitais e por isso é uma      
  parvoíce andar de máscara.

terça-feira, junho 30, 2020

Não me espantava nada...

Não me espantava nada que a Maria Vieira fosse candidata a deputada pelo CHEGA nas próximas eleições. Uma mulher tem de ganhar a vida de alguma forma, já que como actriz e usando a célebre expressão do Herman... «goodbye Maria Ivone». Pode ser que ela seja chamada a expressar-se sobre as "suas" ideias e seja tão divertido como na entrevista do Goucha. 

R.I.P Maria da minha infância e adolescência. 

Ouvem-se os sinos celestiais (parte 2)

É possível que venha aí um dueto entre a Dua Lipa e a Madonna. É a realização do paraíso Pop.

Ouvem-se os sinos celestiais

Amanhã volto ao ginásio! Yaaaaaaaaaaaassssssssssss.
A ver se me mantenho afastado da COVID.

segunda-feira, junho 29, 2020

A administração pública na Suécia

Fiquei a saber, com bastante agrado, que os funcionários públicos não fumadores têm um bónus de 3 dias de férias na Suécia. A medida pretende compensar os restantes trabalhadores pelo tempo que os fumadores andam de "rabo levantado". Também sou a favor de medidas de diferenciação que premeiam os trabalhadores, seja deste género ou ainda por produtividade.

quinta-feira, junho 25, 2020

Directamente das minhas memórias de 2006


Put Your Records On - Corinne Bailey Rae

quarta-feira, junho 24, 2020

Piada Seca LXVIII

Conversa entre rapariga e rapaz.
- Diz-me lá, como é ter um pénis?
- Às vezes é muito duro.

terça-feira, junho 23, 2020

Lovely - Billie Eilish (ft Khalid) com vídeo alternativo

Uma das canções que mais gosto da Billie Eilish com um vídeo alternativo que assenta bem no tema. Quem se lembrou...lembrou-se bem.


Mercúrio retrógado

O ferro de engomar acabou de estoirar e o computador do trabalho está com problemas. Não obstante, hoje li que existe também um lado positivo do Mercúrio retrógado:

"Esta fase é óptima para estimular o intelecto: ler, estudar, reflectir, investigar, rever ou terminar alguns assuntos e/ou projectos do passado que tinham ficado em standby."

Pronto, nem tudo é mau.

Era COVID19

Acho que a contenção e o confinamento me estão a deixar apático. Será que este sentimento é sentido de forma igual pelas restantes pessoas? Eventualmente as da minha geração?

A insustentável leveza do ser

Já não faço ideia do que é a sensação em epígrafe. Ando sempre ansioso pela falta de tempo, pela receio de não ter ideias inovadoras o suficiente para fazer a diferença no local onde estou a trabalhar, pelos 5kg a mais (da ausência de exercício físico e do comer emocional).

Pára. Analisa. Repensa. Reagrupa. Começa de novo.

A arte maravilhosa de Arinze Stanley

Um dos movimentos artísticos que mais me entusiasma é o Hiperrealismo. Chuck Close é talvez um dos expoentes máximos do movimento,  mas artistas como Roberto Bernardi, Pedro Campos, Robin Eley são verdadeiramente estupendos. No entanto, ontem, creio que conheci o artista que mais me emocionou dentro deste tipo de arte: Arinze Stanley. Para além do realismo associado à técnica perfeita, temos a expressividade da mensagem. É verdadeiramente maravilhoso. Espero que se emocionem tanto quanto eu. Se estes desenhos não são pura perfeição, não sei o que possa ser.



O Privilégio Branco

Um dos vídeos mais interessantes que vi sobre o assunto. Explica muito bem o privilégio branco. O vídeo é de um Drag para ter uma bocadinho mais de leveza, mas a abordagem é real e científica, e muito bem articulado. Acho que dos vídeos mais bem fundamentados que já vi.



sexta-feira, maio 29, 2020

Sindicatos

Os sindicatos deveriam existir para proteger os trabalhadores, mas é 90% ilusão. Os sindicatos são, na sua maioria, grupos que têm de justificar a sua própria existência, não olhando a meios para tentar ser relevantes. Ambições políticas e pequenez de espírito é a tónica geral dos dirigentes. Não são todos lamentáveis, seria injusto dizer que sim, mas são na sua maioria lamentáveis. 

Em época de COVID19 é vê-los sair da toca em busca de estratégias de angariação de associados. E não, eu não sou um homem de direita. Mas os sindicatos não representam a esquerda. Longe disso. No ministério onde estou agora a trabalhar, a desonestidade intelectual dos sindicatos é gritante e não se importam com nada a não ser causar ruído e levar a sua avante, para garantir aplausos dos associados, mesmo que seja com não-questões, e estando a borrifar-se para os custos indirectos (ou simplesmente porque são burros que nem uma porta) que certas tomadas de posição vão ter nos trabalhadores e no país. 

Há tanta gente a trabalhar duro para não permitir que os serviços públicos deixem de funcionar e, porque trabalho não é com eles, os senhores dirigentes tentam desvirtuar tudo o que podem, apenas para serem o Xico-Esperto do momento. O sindicato que conseguiu falar alto. O sindicato que conseguiu parar a máquina do Estado com as suas reivindicações. 

O meu nível de repugnância atingiu níveis estratosféricos. No outro ministério os sindicatos pareciam meninos de escola em comparação. Nunca suportei pessoas desonestas.


sexta-feira, maio 22, 2020

Como é possível?

Hoje estou a sair do trabalho às 19h, tendo entrado às 10h. Um dia que não saio às 21h ou às 22h (entrando às 9h). Espero que o meu babe tenha um vinho fresquinho no frogorífico. É de celebrar. 

terça-feira, maio 19, 2020

É o que dá fazer as coisas a dormir

Tinha de transferir dinheiro para o meu irmão e executei o proposto, mas não me aparecia no saldo. Repeti mais duas vezes e nada. Achei que algo de estranho se passava com a App do banco. Passaram dias e nada. Descobri hoje que tinha transferido o dinheiro da conta da minha mãe. Ia dar-lhe um ataque quando visse que lhe faltavam uns quantos mil euros na conta. Lá percebi a tempo e está tudo resolvido. 

Coisas boas

No meu novo trabalho não são só "espinhos". Gosto muito da auxiliar e das secretárias, pessoas que valorizo bastante e com que sou bastante simpático porque nunca me esqueço das minhas origens. Uma das minhas avós lavava escadas e nenhuma profissão me parece menor (vá... talvez jogador de futebol :-p). Parece que estas senhoras também gostam de mim porque volta e meia recebo mimos, um chocolate, umas bolachas, etc. Hoje foi um pastel de nata para o Dr. Silvestre. Estes pequenos gestos deixam-me feliz. 

domingo, maio 17, 2020

Afinal Ella ainda vive


Ella Henderson - Glorious

Escapou-me o regresso da Ella Henderson (após 4 anos sobre o primeiro CD) porque o EP datado de setembro de 2019 não fez sucesso nas rádios. É o que dá separar-se de uma editora multinacional para querer manter o controle criativo da sua música. Desejo que ela consiga voltar "a dar música" a todos.

sexta-feira, maio 15, 2020

A provar que sou um gajo antigo

Acho que o meu velho amigo Silvestre, está cada vez mais a seguir um modelo de carta ou telegrama. É cada vez menos imediato. Venho cá de vez em quando contar as novidades "da terra" sem muitas complicações. Quem de direito perguntará mais depois, ou espera até à chegada da próxima "carta".

Estou viciado na série The Good Wife

Dizem os mais velhos que nunca é tarde. Apesar da série ter acabado em 2016, descobri-a há umas três semanas e tenho consumido o tempo livre com elas. E parece que alastrou ao Macaquito. Podia ser a típica série de advocacia, mas não é. Há li muito de humano. Nada é linear. Somos bons e maus, dependendo das ocasiões, há milhares de tons de cinzento entre o preto e o branco. Esta série podia ser um ensaio sobre isso, as tonalidades de cinzento. 

Gosto das colaborações da Julia Michaels


Lauv ft Julia Michaels - There's no way





Julia Michaels ft. Niall Horan - What a time

A melhor prenda de anos

No dia 10 de maio fiz 46 anos. Este ano foi tudo muito esquisito. O mundo não é o mesmo lugar do ano passado. Contudo, este ano, o facto mais singelo acabou por ser a melhor prenda. Vi a minha mãe depois de 2 meses sem nos vermos. Pudemos dar um abraço enorme, apertado, cheio de amor, cheio de saudades, cheio de vida. Tive apenas 2 prendas este ano. Um livro e o abraço da minha mãe. Há dias que conseguem ser mesmo perfeitos. 

I'm still breathing

O trabalho tem-me ocupado demasiado, mas ainda respirar. O ser humano habitua-se a tudo, a más horas, a maus horários e à má vida. Aqui a má vida não é borga. Antes fosse. 

sábado, maio 02, 2020

Votantes do Bolsonaro

Quem votou Bolsonaro e ainda não sente vergonha por tê-lo feito, devia ir ali num instante fazer uns gargarejos com COVID19.

A redescobrir Sophie Ellis-Bextor


Young Blood - Sophie Ellis-Bextor

The Witcher

E a primeira série já está. Gostei do ambiente medieval e a história terá tendência a melhorar, uma vez que a primeira série teve aquele sabor a argumento experimental. O Henry Cavill tem o ar  canastrão ideal para o papel. Estamos on.

Isolamento social e as descobertas positivas

Um das grandes descobertas, ou redescobertas, foi olhar com outros olhos para o meu respetivo. Não há dúvida alguma de que tenho um grande parceiro de vida. Tenho tido momentos muito complicados de adaptação ao novo trabalho e ele tem sido verdadeiramente estupendo. Facilita-me a vida ao máximo, tenta que eu me concentre no essencial, tenta que eu confie em mim. Neste processo não pede nada em troca, não faz exigências. E entramos numa espécie de regime, amor com amor se paga. Comigo a tolerar as coisas que normalmente parecem menos toleráveis. O nosso sistema de prioridades mudou completamente. 

A aprender coisas novas

Passou pouco mais de 1 mês e eu anda com as mesmas inseguranças no trabalho, mas pelo menos a dormir um bocadinho mais e a importar-me um bocadinho menos. Uma amiga disse-me que estou muito mais bonito porque estou vulnerável. Que a vulnerabilidade, a insegurança e o medo vão bem comigo. Tornam-me humano, diz ela. Diz que a pessoa que eu era não era tão real. Muito assertivo, sempre seguro, sempre com uma resposta na ponta da língua, sempre a saber quase sempre tudo. Agora sei pouco e isso faz-me mais humano. Percebo o que ela diz, mas gostava de voltar a sentir controlo (quase) total sobre tudo o que faço e digo. Mas estou a aprender.

quinta-feira, abril 23, 2020

Cansaço

Ando a despender demasiado esforço no trabalho. As coisas não estão equilibradas. Compreendo que hoje fez 1 mês e sempre passado em tele-trabalho por causa da COVID, mas confesso que hoje me senti bastante triste, desanimado. Não tive uma compensação ao esforço para lá de 200 euros mensais a mais. O dinheiro não justifica. Não preciso dele. Era mesmo uma aprendizagem que não está a chegar. Estou baralhado. Tenho de restabelecer o centro e recentrar os meus esforços. Não posso estar infeliz. Buscar saídas sempre. A realidade é que estou tão exausto que está a ser difícil.

quarta-feira, abril 15, 2020

Dua Lipa com sample de INXS



Break My Heart - Dua Lipa

Who is the master and who is the slave?

Tenho demasiados pensamentos dentro da minha cabeça. Alguns são bem contraditórios e gostaria que alguns fossem sempre subordinados de outros. Às vezes há uma rebelião e os pensamentos menos confiáveis tomam a liderança. No fim das contas, a casa é arrumada, mas a minha questão é: a que custo? Que se pode perder para sempre nos momentos de rebelião emocional?

Booksmart: Inteligentes e rebeldes

Achei uma certa graça a este filme que é o típico filme de adolescente no liceu, mas com uma roupagem de produção que se quer  independente, politicamente correcta, inclusiva socialmente consciente e com doses de loucura intelectual que baste. Não fiquei extasiado, mas vê-se bem.

13/20

Quem é que manda aqui?

É uma comédia sem grandes ambições que assenta fortemente em estereótipos de raça para a maioria das piadas. Girl Power embrulhado numa produção tipicamente americana sem surpresas. Já sabemos o final antes do fim porque conhecemos essas fórmulas.

11/20

Paradise Hills

É um filme de ficção científica que se assume como um thriller psicológico. Não tem um mau ponto de partida, mas penso que a execução ficou um pouco além. O filme fica naquela linha entre o filme conceptual de baixo orçamento e o filme inovador mainstream. A sensação é que não se consegue afirmar em nenhum dos campos. Por vezes existem elementos de cenografia extraordinários e o argumento é interessante, mas não existe o ritmo ou desenvolvimento necessários. Para ver como uma curiosidade.

11/20

Judy

Fiquei muito triste no final deste filme. Há pessoas que não têm mesmo sorte no caminho que trilham enquanto são vivas. Ser mulher nos anos 50/60 era uma coisa horrível e as pessoas sensíveis ganhavam marcas para o resto da vida. Esta mulher de grande talento foi cilindrada, não obstante, sempre na tentativa constante de ter uma vida normal. Acho que é um bonito tributo que apresenta a cantora/actriz na fase mais difícil da sua vida, meses antes de morrer, mas sempre com a chama dos seus sentimentos como mãe, como mulher, como profissional em riste no meio do caos a que eventualmente sucumbiu. A Renée Zellweger está estupenda.

16/20

Bloodshot

Foi o último filme que vi no cinema antes da hecatombe Corona. Não é nada de novo e não se poderiam esperar grandes actuações dentro do estilo, mas é agradável. Digamos que foi feito com a lógica de um videojogo, a acção nunca pára e os efeitos especiais são muito eficientes. Prevejo uma sequela.

14/20

quarta-feira, abril 01, 2020

Para quem não sabe

O novo álbum da Dua Lipa (Future Nostalgia) é brilhante. Se há alguém no mundo da pop a quem se deva prestar atenção no momento, é ela.

O post mais brilhante que li hoje

Vai ficar tudo bem.
#felizdiadasmentiras

Isolamento Social

Curiosamente não me custa assim tanto. Acho que tem a ver com a maneira como fui educado. Vive-se com aquilo que se tem. E agora tem-se menos. É reinventar um pouco a existência. Só vejo gente aborrecida nas redes e isso é...aborrecido. Podem fazer ginástica, ler, aprender a falar línguas online, sei lá, tanta coisa. Só é chato ter de recorrer ao PC como janela para o mundo. Acho que vou ficar mais míope, mas é apenas isso. Já percebi que tenho e fazer exercício todos os dias, subo e desço as escadas do prédio 25 vezes a correr. Em tempo de Corona é bom manter uma boa capacidade respiratória. E tudo o resto se faz. tenho menos roupa para lavar, tenho menos gastos com a gasolina, gasto menos em comida e não tenho de aturar pessoas que me incomodam. Há coisas boas também. 

domingo, março 29, 2020

A culpa é sempre do Governo

Para os portugueses a culpa é sempre do Governo,  seja qual for, de esquerda ou de direita. Os portugueses não sabem ser responsáveis pelas suas próprias vidas e acções. A estupidez é toda nossa, mas há-de ser sempre por culpa de outrem de preferência acima de nós.

Coisas que seriam interessantes

Seria interessante ver o Trump e o Bolsonaro apanharem Covid19, assim bem forte. No mínimo para apanharem um belo susto, no máximo para fazerem um favor aos seus países. 

terça-feira, março 24, 2020

Novo emprego

Comecei um novo trabalho. Mas em tempo de COVID isso que dizer que estou a trabalhar para outras pessoas na mesa da minha sala. Não sei se tenho expectativas porque tudo isto foi muito rápido, um trabalho que não estava nada à espera e que me pareceu poder ensinar-me algo de novo. Quem sabe a minha vida pode mudar de direção. Era bom.

Este Março não é o que estava à espera

Depois de umas férias que me souberam muito bem, eis que cai uma bomba daquelas. A Pandemia  COVID19 instalou-se no país e isto está um caos. As pessoas são demasiado hedonistas para fazer os sacrifícios necessários, os Estados foram demasiado confiantes. Agora a esperança é uma vacina que deverá chegar nos próximos 6 meses ou temos uma hecatombe social. Nem quero pensar no desemprego, na escalada do crime, etc.

quarta-feira, fevereiro 26, 2020

Meu querido mês de Fevereiro

Depois de um Janeiro de horror e depressivo, o mês de Fevereiro tem sido para lamber feridas para trabalhar a resignação. Pode ser que Março traga outro tipo de sentimento. Agora mesmo o sentimento é de «aguenta, que as coisas são o que são e não mudam». Pode ser que até ao meu aniversário (em Maio) ainda consiga desenvolver qualquer tipo de esperança. Agora mesmo a resignação é o prato do dia. Não é excelente, mas ao menos não há qualquer tipo de expectativa e isso é bom.  

quinta-feira, fevereiro 20, 2020

NISSAN Sucks! A Caetano Power é uma entidade de não muita fiabilidade.

Tenho uma história bastante chata com a NISSAN venderam-me um MICRA que disseram ser super económico e que gasta 11 litros em cidade, 8 litros em consumo misto. Por acaso gostava de saber se mais alguém foi enganado pela Caetano Power como eu. A marca diz que faz 5.5 litros em cidade e 4.5 litros de consumo misto. Esperava até 2 litros mais. Mas o que se passa é despropositado e eles dizem que o carro está óptimo e não tem problema nenhum. Se não tem então é porque fui bem enganado. Alguém tem conhecimento de pessoas que tenham problemas de concumo com o novo NISSAN MICRA? Obrigado.

quarta-feira, fevereiro 12, 2020

Birds of Prey (E a Fantabulástica Emancipação de Harley Quinn)

Quando apareceu o primeiro Deadpool foi uma pedrada no charco, mas o segundo tomo da obra nãoteve aquele efeito de novidade que entusiasma pela diferença. Passa-se o mesmo com a Harley Quinn depois do Esquadrão Suicida. Não se tem o efeito da novidade, mas tal como nunca perderei a vontade de ver todas as sequelas do Deadpool, o mesmo se passará com a Harley Quinn. Há humor negro q.b., muita loucura e ainda alguma espessura dramática quando tem de ser (ali e acolá) porque a Margot Robbie é mesmo muito boa actriz. Vi com prazer.

15/20

quinta-feira, fevereiro 06, 2020

Como arruinar uma hipótese de novo trabalho

Fui a uma entrevista no INE e deixaram-me 75 minutos à espera sem a menor explicação. Vim embora, pois tinha onde estar depois. E a entrevista não iria durar apenas 15 ou 20 minutos. Escrevi um email a dizer que tive de ir embora. Não recebi resposta. Se fosse eu que chegasse atrasado 75 minutos a uma entrevista, suponho que o futuro empregador não seria muito condescendente. Também não fiquei muito impressionado com o profissionalismo deles e com o respeito manifestado pelos candidatos. Concorri, também, para uma vaga em outro departamento, mas como ali são os recursos humanos que fazem a triagem, suponho que já não serei chamado. A ver vamos. 

De volta aos transportes públicos

Não sei se sou eu, mas depois de 5 anos a andar de mota acho que as pessoas mudaram. Estão mais antipáticas, mais tensas, mais amargas. A energia nos transportes públicos é má, faz-me mal.  Também se dá que estou muito sensível ultimamente, mas pronto. Os humanos estão cada vez menos humanos.

A despedida

Depois do fantástico «Parasitas», fiquei a berto a ver mais filmes orientais, mas a realidade chinesa (sem ser filmes de época) não me apela grande coisa. A ideia cultural de base é bonita, o assentar na tradição chinesa de proteger a família, mas o resto é bem aborrecido. Não percebi o porquê do globo de ouro para a melhor actriz secundária, não percebi o porquê de tanta consideração por esta obra. Para mim foi chato. Apenas chato.

11/20

segunda-feira, janeiro 20, 2020

Madame X Tour - Madonna

Dia 14 de Janeiro fui ver a Tia Madonna e gostei muito. É um espetáculo ao estilo Broadway, diferente dos concertos a que nos habituou durante toda a carreira, mas o ADN é o mesmo. 100% Madonna. Umas das coisas mais importantes foi o facto de estar a cantar muito bem (às vezes esquecemo-nos que, na realidade, ela é uma cantora) a voz esteve sempre presente com qualidade. O seu ego maior que a vida sentiu-se em todo o espetáculo, mas foi bom ver também um lado (sincero) de humildade e admiração perante a cultura musical portuguesa e a mestiçagem cultural de Lisboa. Foi tudo muito real e palpável, até o facto de ela ter 61 anos e não ter a mesma força no corpo, a mesma precisão a dançar e a mesma energia cénica. Mas o espírito estava lá, indomável, mandão, opinativo, com humor e agradecido. Madame X knows how to put up a show.

Carta a si mesma da P!nk.


Letter to self: 

Dear Me, you’re getting older. I see lines, especially when you smile. Your nose is getting bigger…You look (and feel) weird as you get used to this new reality. But your nose looks like your kids and your face wrinkles where you laugh. And yeah you idiot… you smoked. Every once in a while you consider altering your face, and then you watch a show where you want to see what the person is feeling... and their face doesn’t move. I cannot get behind it. I just can’t. I want my children to know what I look like when I’m angry. I’m fortunate because I’ve never really depended on my looks. I’ve decided that my talent and my individuality are far more important than my face. So get on board cause I am about to AGE THE OLD FASHIONED WAY (over 40 in a tutu ruling shit at 30mph and 100 feet up in the air) Yasssssssss!

p!nk.



Cats

Tive de ir ver. As críticas péssimas e o elenco excelente deixaram-me tanto de confusão como de curiosidade. O filme tem tudo de bom, menos o facto de ser um filme. O que estamos a ver é uma peça de teatro musical que não conseguiu trasncender o que é. O conteúdo do filme não se adequa ao meio. Se fosse ao vivo eu teria gostado bastante, o nosso expectro de atenção ao detalhe é radicalmente diferente consoante o contexto. Como filme parece vazio e oco. Eu quero ver voz e coreografia ao vivo, quando não existe mais nada de cinemático. Há outros musicais que resultaram porque não são elementos de fantasia como é este Cats. Lamento pelo dinheiro gasto na produção face ao resultado. O talento está lá, é o que é, mas não deveria ter sido cinema.

12/20 

segunda-feira, janeiro 13, 2020

E amanhã vou ver a Tia Madonna

É um bocado assim que eu me sinto com ela. É alguém que já faz parte da família e que gostamos sempre de ver, mesmo quando não está na sua melhor forma. Não obstante continua sempre a ser uma inspiração porque aquela ética de trabalho e aquela determinação (ontra tudo e todos) são lendários. Props para ti Tia Madonna. 

Selena does it again...

Não gosto particularmente da Selena Gomez, mas fez o seu retorno ao mundo da música com uma canção estupenda «Lose you to love me» e agora presenteia-nos com um terceiro single que eu tb acho contagiante (mas ela que não pense que eu vou gostar dela, só porque me anda a subornar com música boa :-p)


Rare - Selena Gomez

quinta-feira, janeiro 09, 2020

Novo Single da Alicia Keys



Underdog - Alicia Keys

Adorei a letra que é muito actual e o ritmo descomprometido e contemporâneo faz com a junção dos dois se concretize numa bela canção que é inspiradora para todo aqueles que não estão no "topo da pirâmide". 

segunda-feira, janeiro 06, 2020

A mudança está nas pessoas

Kamikatsu, a vila japonesa que quer atingir o desperdício zero em 2020. Vale a pena ler a história desta comunidade aqui.

Em 2018, só 19% dos resíduos da vila de Kamikatsu foram parar ao incinerador. A ideia é a de sempre: separar, reduzir e reutilizar. Em 2020, quer atingir totalmente o desperdício zero, 45 categorias de reciclagem de cada vez.

Musical Throwback -1



Unhook The Stars - Cyndi Lauper (1996)

I'm not really sad...I'm not running, I'm looking...
Don't worry for me it's just I'm inspired
Waiting in the wings made me drunk with possibility
It rivals my memories...

sexta-feira, janeiro 03, 2020

Vamos agir?

A Austrália está a arder, tem um governo de merda,  mas também uma flora e fauna que estão a ser dizimadas. A WIRES - NSW Wildlife, Rescue, Infomation and Education Service Inc. É uma organização sem fins lucrativos que salva animais selvagens e os trata até estarem em condições de serem devolvidos à natureza. 

Para terem ideia, já morreram mais de 8000 koalas (entre muitos milhares de outros animais). Nós aqui gostamos muito de dizer que são super fofinhos, mas parece-me hipócrita ficarmos de braços cruzados a vê-los morrer. No terreno, a WIRES está com milheres de voluntários, a tentar salvar o máximo de animais, mas precisa de dinheiro para fazer face às despesas. Eu já fiz o meu donativo 75 dólares australianos (46 euros), mas todos os tostões contam se forem muitas pessoas a doar para o fundo de emergência que pode ser acedido no link abaixo:

Donate to the Emergency Fund at https://www.wires.org.au/donate/emergency-fund