terça-feira, junho 18, 2019

Frases que fazem sentido.

"it is being honest
about
my pain
that
makes me invincible."

Nayyirah Waheed

Este ano não houve feira do livro para mim

E ainda bem, talvez assim tenha tempo de colocar em dia as leituras. Todos os anos compro montes de livros que não consigo ler até chegar à edição do ano seguinte. Fiquei a sentir um certo alívio, porque não ter de comprar livros. Parece que tenho sempre de o fazer só porque estão ali à mão de semear com 50% de desconto.  

Cada vez mais...

...ligo menos ao que as pessoas pensam. Voltei de férias e dizem-me «não estás muito moreno». Parece que quem vai para a praia tem de ficar muito moreno, como se isso valide a nossa experiência. A experiência foi minha, o sol que apanhei, os banhos que tomei. E terminam com um «não estava bom tempo». É que nem tenho de justificar que não gosto de ficar muito escuro. E só respondo com hum-hum... Pronto. As pessoas ficam felizes nas suas representações da realidade e eu não tenho trabalho nenhum. 

Tudo é possível

Aproveitando-me do título, tenho a dizer que tudo era possível com este filme. O potencial para um manifesto sobre a subvalorização da terceira idade era enorme. O resultado esteve bem longe disso. É um filme que nos traz simpatia pelo tema, mas muito mal desenvolvido e ficar-se num exercício superficial onde se pretende trazer alguma comédia e pouco mais. Tive pena. 

12/20

X-Men : Fénix Negra

Como já devem ter percebido, sendo os X-MEN os meus heróis favoritos, tive sempre muita dificuldade em lidar com a qualidade dos filmes produzidos sobre eles. A história da Fénix negra é uma das minhas favritas, senão a minha favorita. Ocorre que embora a história do filme não tenha nada a ver com o original, desta vez, pelo menos, vi captada a intensidade drámatica e o conflito associados à mesma. Talvez por isso não tenha vontade de bater neste filme dos X-MEN. Até me senti relativamente em casa.

15/20

Pequenas Mentiras Entre Amigos 2

Segue a mesma linha do primeiro filme enquanto comédia dramática de enganos e desenganos, mas a minha experiência enquanto expectador foi distinta. Não fiquei triste como da outra vez. Aqui já não se trata de se viver aquilo em que se quer acreditar, mas como saber viver com aquilo que é verdadeiramente a nossa realidade. E também tentar perceber o que é essa realidade numa ação continua de tentativa e erro. No segundo filme, a sensação que fica é que no fim vai ficar tudo bem. Que não importa o quê, acabamos por nos encontrar e saber onde pertencemos.

15/20

Rocketman

Gostei bastante deste filme que, bem ao estilo de Elton john, é mais uma fantasia biográfica do que um biopic tradicional. os factos são um pouco adulterados a nível das datas de ocorrência para criar uma narrativa mais coesa ao nível da densidade dramática. O Elton John é uma espécie de Pink, ou seja, um cantor que já vendeu e ganhou mais prémios que os seus contemporâneos, mas que na nossa mente são sempre medianos em termos de mediatismo e popularidade. Vale a pena ver e perceber a dimesnsão que ele teve nos anos 70 e 80.

A nível das actuações seria impossível não falar do brilhantismo de Taron Egerton  que canta, dança, e recria o feeling do Elton John na perfeição. A intenção de vida e emocional do Elton está toda lá. ganhei um novo respeito pelo actor.


17/20

Godzilla - Rei dos Monstros

Mais um daqueles filmes que vou ver por causa do namorado. Não há muito a dizer, nem sei se achei os efeitos especiais muito bons. tenho a dizer simplesmente que mesmo com bons actores se consegue fazer um filme muito vazio e mediano. O argumento é inexistente. 

10/20

terça-feira, maio 28, 2019

Momentos embaraçosos

Eu sou aquele tipo de pessoa que sempre que algo lhe chama a atenção fica a olhar fixamente para o objecto de curiosidade. Hoje na rua ia uma rapariga com calções muito curtos (hot pants) e como era muito branca chamou-me a atenção para uma quantidades de pontos nas pernas, mas como não percebia bem o que era fiquei a olhar muito fixamente. No fim de contas era apenas os pelos (muitos) a crescer, mas ela deu por mim a olhar para ela e pensou que eu a estava a "galar" e olhou-me de volta com um certo olhar vitorioso e a mim só me apetecia dizer-lhe «estava só a ver o que coisas era essa que tinhas nas pernas, não estou com interesse, a sério». Mas segui em frente e acho que lhe fiz o dia. 

segunda-feira, maio 27, 2019

Entrevista de trabalho

Fui a uma entrevista de trabalho e deveria estar muito contente, mas a minha mete oscila entre aquilo que posso ganhar e aquilo que posso perder. Estou completamente indeciso. A ver o que o Universo tem reservado para mim. Espero que o meu bom senso saia vitorioso e consiga fazer uma análise realista dos factos em cima da mesa. 



sexta-feira, maio 17, 2019

Entretanto fiz 45

Era só mesmo para deixar um registo do acontecimento, já foi no dia 10. matematicamente estou com um pé nos 50. Olé!

Coisas que me chateiam mesmo muito

As pessoas são cada vez mais literais. Não há sentido de humor ou ironia que resista a mentes secas. O que foi feito da imaginação? Quando eu era miúdo, talvez por haver pouca informação e meios de informação, grande parte das nossas vidas tinha uma componente de elaboração imaginativa. Hoje há tanta informação, tanto detalhe e as pessoas são brutalmente literais. Uma nuvem é uma nuvem, não necessa´riamente um peixe com um chapéu de chuva ou um cão com asas. Estamos pobres.

Li uma citação muito bonita

“He was swimming in a sea of other people’s expectations. Men had drowned in seas like that.”

Robert Jordan

segunda-feira, maio 13, 2019

Madonna...volta que estás perdoada.

Depois de um primeiro single um bocadinho meh... eis que finalmente vem uma canção onde consigo sentir fado e áfrica actual (sem deixar de piscar o olho ao R&B). Espero que o álbum seja mais «Crave» que «Medellín».


Um dos melhores trocadilhos que já vi


terça-feira, abril 30, 2019

A Pink tem um álbum novo

A Pink que uma espécie de "underdog" do mundo pop tem um álbum novo, Hurts 2B Human, que é um pouco diferente daquilo a que nos tem habituado em ritmo, mas com muito do que nos tem habituado em baladas reflexivas. A Pink tem quase 40 anos e as rádios também estão a começar a deixá-la de lado. As rádios que alimentam os Tops são destinadas ao público dos 15 aos 35. Esquecendo-se que uma pessoa com 50 pode fazer música para esse público. Como provavelmente ninguém vai dar muita atenção ao álbum deixo aqui algumas faixas à laia de "entradas".







Os Portugueses quando querem ser burros são mesmo

Envolvi-me numa discussão sobre um artigo que pretende classificar as cozinhas dos países da União Europeia. Não se porque ainda me dou ao trabalho de tentar comentar uma coisa destas, quando temos uma quantidade de pessoas a dar opiniões sobre coisas que não conhecem. 

Por exemplo, eu já viajei em 35 países (a maioria na Europa) e, por exemplo, visitei 16 vezes a Itália e 11 cidades Italianas. 

Para se perceber o nível da discussão um senhor português comentava que era um ultraje dizer que a comida italiana é pior que a Portuguesa, porque ele esteve em Itália uma vez e a comida não presta, a Portuguesa é a melhor. Eu disse-lhe que viajei muito em Itália e que acho que juntamente com a Portuguesa são as melhores cozinhas da Europa. Ele responde:

"Esse é o seu gosto e somos todos diferentes, eu por exemplo, detesto viajar, só viajo obrigado pelo trabalho e odeio conhecer pessoas novas. Só comi comida italiana uma vez e não gostei"

O nível de conhecimento é altamente profundo. E são fundamentalmente estas as pessoas que fazem comentários online. Cada vez mais as pessoas com algo a dizer de relevante (e com juízo) se excusam de entrar em diálogos estúpidos com gente burra que não está disposta a aprender ou evoluir. Não vale mesmo a pena, sobre o risco de se ser enxovalhado. Eu tenho é de ganhar mais juízo. 


Vingadores: Endgame

Depois de até ter gostado do capítulo anterior, foi com muita excitação que recebi as primeiras imagens do novo e estava motivadíssimo para ver a estreia. Não sei o que se passou. Dei por mim antes do intervalo a desejar que este chegasse e que na segunda parte o filme fosse a algum lado. 

Não percebo o porquê de um filme com 3h quando está cheio de enchimento que poderia ser reduzido, não percebo o assassinato dos pressupostos originais destes heroís quando ainda só existiam em livros de banda desenhada. Foi um desgosto de filme e um aborrecimento. Não percebo porque é que toda a gente está a dizer que é excelente, quando não é. Eu sei que o nível de exigência dos públicos é cada vez mais baixo, mas por favor. 

Não posso dizer que está mal filmado, não posso dizer que os atores não estão a representar bem o que lhes foi dado, mas a história não é interessante e os tempos do filme estão muito aborrecidos.  E parte-se do pressuposto errado, para mim o mais grave, que o ser humano não consegue ultrapassar a perda, quando toda a história demonstra o contrário.

13/20

Shazam

Fui ver o filme porque não havia mais nada a começar a esta hora. Não estava à espera de grande coisa, mas é uma espécie de filme natal fora de época, em que em vez de termos um cãozinho temos um herói que é uma cirnaç, mas nem por isso. 

O filme poderia ser melhor se não apostasse na graça fácil de ter um miúdo em corpo de adulto (como o filme Big de 1988 com oTom Hanks, a representar a dicotomia de modo brutalmente superior). As ideias estão engraçadas, os efeitos especiais estão bem e é tudo em modo fofinho.

13/20


Hellboy

Mais um filme que eu vou ver porque o meu pequeno quer e eu acompanho. Já tinha visto o segundo tomo do franchise e não achei mau. As ideias eram interessantes e era um pouco como ver uma sofisticação de um filme de série B. Este terceiro tomo não carecsenta grande coisa. Os efeitos especiais são melhores, o humor é o mesmo e a história é um bocadinho rebuscada, mão não agride. O filme é absolutamente inócuo. Não aquece nem arrefece (devia aquecer um bocadinho porque se revela a origem do herói, mas não).

13/20

quarta-feira, abril 17, 2019

Mais uma...

Ontem recebi a linda notícia de que não vou escapar a mais uma operação à coluna. Nada contente, mas faz parte da vida. Há pessoas com doenças mortais, há pessoas sem casa. No meu caso uma má coluna. Toca a lidar com o assunto e arranjar soluções. 

sexta-feira, abril 12, 2019

Dumbo

Apesar de ser um filme competente, para mim foi um suplício. Achei a história muito violenta emocionamente, mesmo sabendo que acaba tudo bem e que vai ser tudo açucar e rosas no final. A forma como os animais são tratados como coisas (ainda hoje) deixa-me chocado e claro que podemos antropomorfizar a história do Dumbo e da sua mãe para os dias de hoje e não vai estar longe de muito daquilo que acontece com refugiados, povos minoritários, etc. 

Fora isto. O filme perdeu em alguma magia. Não é um típico Tim Burton, eu estava à espera de mais alternativa, talvez perosnagens menos mainstream (aqui tão justificáveis como um elefante que voa com recurso às orelhas).

Não achei mau, mas também não achei bom. É assim-assim e por isso mesmo frustrante. Ninguém vai ver uma fábula como o Dumbo para ser assim-assim.

13/20

Piercing

Não sei muito bem como descrever este filme. Normalmente um filme tem de deixar-nos uma sensação de história completa e este filme é uma narrativa aberta, para a lém do facto de ser um filme sobre pessoas doentes, numa relação doente. Estas realidades também existem, mas quando um filme se foca numa realidade específica que tem pouco a ver connosco (e a qual não exoperienciamos de todo) é difícil a digestão do mesmo. 

Este filme fala sobre sadomasoquismo. E não foi ressonante comigo

11/20

quinta-feira, abril 11, 2019

E se de repente...

Ouvissemos uma música da Celine Dion e gostassemos muito? Fico assim um bocadinho envergonhado, porque sou preconceituoso, mas hoje aconteceu-me...

segunda-feira, abril 01, 2019

Captive State - Cercados

Nove anos depois da rendição quase absoluta dos terrestres a uma invasão alienígena, uma antiga célula rebelde tenta uma nova oprtunidade para atear a guerra e o desejo de liberdade. O filme é interessante mas, na minha opinião, peca pela lentidão. Não tinha de ser um filme cheio de acção, mas creio que necessitava de um pouco mais de brilho nesse sentido. Tudo caminha para uma grande revelação e a história desenvolve-se nesse sentido, mas creio que é pouco para o que temos de esperar durante o filme. Acho que pede um segundo episódio para esclarecimentos adicionais. A minha nota tem sobretudo a ver com a  falta de velocidade narrativa.

13/20 

sexta-feira, março 29, 2019

Nós

O novo filme de Jordan Peele serve essencialmente para provar que estamos perante um peso pesado da originalidade, ou seja, o seu primeiro filme «Foge» não foi um acaso. Contudo, apesar da brutal originalidade deste filme que é quase de terror (digo quase porque tem sangue e violência), não obstante lidar com questões da própria exist~encia humana. 

A história é muito interessante e consegue manter-nos bastante tensos, apesar de existirem às vczes existem uns apontamentos de humor para aligeirar. O problema com o filme, é que a história é de tal forma original que, em partes, soa demasiado rebuscada.  Uma reviravolta no filme justifica algumas delas, mas mesmo assim há ali uns aspectos frágeis que poderiam ser constestados. 

Independentemente de tudo isto. Acho que é um filme muito interessante e a Lupita Nyong'o é, sem sombra de dúvida uma atriz a considerar no panorama atual. 


14/20

segunda-feira, março 18, 2019

Conversas...

Em conversa com uma colega de trabalho (estavamos a falar sobre viver a vida) reforcei uma ideia na minha cabeça. De facto, não estou interessado em que a minha vida se resuma ao facto de existir e subsistir. O pó também existe e subsiste. Não quero chegar ao fim dos meus dias e pensar que fui apenas uma parte do mundo, quero ter sido uma parte activa no mundo - uma peça na engrenagem que movimenta o presente rumo ao futuro, não apenas o pó ou o espaço na engrenagem. 

Pequenas tarefas

Tenho andado a fazer pequenas tarefas que estavam por fazer. Quando se quer actualizar a vida tem de se começar por algum lado. O caos vai parecendo menor, grão a grão...

sexta-feira, março 15, 2019

Histórias de superação


Este tipo de histórias é que me deixam feliz. Quero lá saber quem é que ganha o campeonato da Primeira Liga ou se o António Costa foi ao programa da Cristina ou se a Rita Pereira tem ou não gosrdura na barriga. Gosto de pessoas que não desistem de quem à partida não tem grandes oportunidades de sobrevivência. Ser humano é isto. 

quinta-feira, março 14, 2019

Categorias tipo dos autores de críticas destrutivas ao Conan Osíris

Como já disse aqui algumas vezes sou sociólogo de formação e trabalhei como investigador há bastantes anos. No meu trabalho tenho de lidar com análise de conteúdo e dadas as barbaridades que vejo escritas online contra o Conan Osíris fiquei curioso sobre o tipo de autor que as produz.

Atenção que não falo das críticas informadas, legítimadas e construtivas, falo sim das críticas fruto de ignorância, vontade de exposição, pura maledicência ou simples estupidez. 

Temos os velhos do Restelo (que não criticam apenas o Conan Osíris, mas tudo), temos os defensores da tradição e dos bons costumes (cujo pico é uma senhora que mais que Portuguesa é algarvia do Algarve, que é um país a sul de Portugal... ah e a Maria Vieira também), crianças e adolescentes que cresceram na era Kardashian e pensam que alguém quer saber da sua opinião (que tanto pode ser «o Conan é uma merda», «odeio bróculos» ou «a casa dos segredos é o melhor programa da televisão Portuguesa») e por fim um grande grupo que pode ser exemplificado pelo senhor do vídeo abaixo que diz «I’m Portuguese and if any of you understood the lyrics you would understand that it’s a piece of shit track with no meaning what so ever and that dancer is just to strange». Muito grosso modo ficam identificadas as categorias mais expressivas da crítica destrutiva.  




Não sei se estou a cometer uma infracção ou a ser pouco ético, mas o perfil é público e até apela (num dos vídeos) a que os visitantes subscrevam o canal e metam muitos likes nos vídeos. De certa forma até estou a ajudar à popularidade do canal (pelo menos entre as 10 ou 11 pessoas que me lêem :-p)

Quem sabe se esta tipologia traçada muito genericamente até não é verdadeira para as muitas caixas de comentários espalhadas pelo mundo virtual a que a "Portugalidade" tem acesso. Isto também é Portugal (e agora até podia acabar com um fado bem disposto, mas não tenho tempo.)

terça-feira, março 12, 2019

Desejos

Gostava tanto de voltar a saber o que é alegria no trabalho. Não nasci mesmo para ser um carneiro manso. 

segunda-feira, março 11, 2019

Pensamentos Sensatos

When you do nothing you feel overwhelmed and powerless. But when you get involved you feel the sense of hope and accomplishment that comes from knowing you are working to make things better."

Maya Angelou