quarta-feira, dezembro 07, 2016

Ela

Nunca senti vontade de ver o filme que sabia ser do Paul Verhoeven (realizador que considerava mais que esgotado na sua mania de provocar), mas ontem começa à hora certa para eu poder fazer uma sessão dupla de cinema. Ainda bem que assim foi. O filme é muito pouco francês no sentido contemplativo. A contemplação ocorre, aqui, em acção. A interpretação de Isabelle Hupert é magistral e passa por quase todos os estados emocionais num único filme. raramente se assiste a um abandono tão tremendo do actor ao personagem. O filme é quase Isabelle Hupert e o resto é satélite, mas funciona estupendamente. As contradições humanas são o parto forte do filme servidas com subtileza, mas de forma muito directa. 

Verhoeven consegue ser de novo provocador.

17/20

Animais Noturnos

Depois do brilhante «Um homem singular» este «Animais Noturnos» é completamente flat. Se o primeiro filme foi filmado com uma estética de moda em movimento. O segundo é realizado como um anúncio de perfumes, mas de revista. Estático. Fragmentado. Sem profundidade. O próprio argumento é quase 2D. A tentativa de fazer com Aaron Taylor-Johnson o que no primeiro filme foi feito com Jon Kortajerena também falhou redondamente. Doi ver Jake Gyllenhal e Amy Adams a desperdiçarem talento (o primeiro por excesso e a segunda por defeito) em virtude de uma má direcção.

Nota positiva do filme a fantástica interpretação de Michael Shannon que volta a fazer o que faz sempre, mas com a frescura da primeira vez. 

12/20

terça-feira, dezembro 06, 2016

OMG...Estou apaixonado



Pela voz desta senhora.

Sou horrível

Quando a máquina dos bolos fica com o bolo preso. Eu carrego no botão para cair as moedas e depois dou um pontapé na máquina para soltar o bolo. Na realidade isto é assim tipo roubar, mas como eles metem os preços dos bolos muito altos, ladrão que rouba ladrão...


ps. shame on me

Falta de profissionalismo

Fiz um pedido de cariz profissional a 3 pessoas. Um respondeu ao fim de 4 dias e os outros dois ainda estou à espera de uma amostra do trabalho desde 11 de Novembro. Se é assim para uma amostra, então para realizar o trabalho deve ser até 2029. Parece que para a semana chega qualquer coisa, mas já podem esquecer o pedido porque a resposta vai ser um redondo não. 

segunda-feira, dezembro 05, 2016

Prova de vinhos

Este fim de semana tive a minha primeira prova de vinhos como organizador e correu bem. Fiquei entusiasmado com o resultado e em Janeiro repito. Desta vez foi na região de Setúbal, para Janeiro ou Torres Vedras ou Alentejo. 

sexta-feira, dezembro 02, 2016

Coisas parvas

Os pais de uma amiga morreram os dois num acidente de viação. Arrancados à vida de forma violenta e inesperada. Só me faz lembrar que tenho de dizer mais vezes á minha mãe o quanto gosto dela. Telefonei-lhe, mas como de costume não atendeu o telefone... Já sei que devolve a chamada pela hora do jantar que é quando se lembra de olhar para o telemóvel. 

quarta-feira, novembro 30, 2016

Depois do Trump ganhar eleições tudo é possível

Tenho as prendas de natal compradas antes do mês de Dezembro. Normalmente compro os presentes na última semana antes do natal, quando não é na véspera. Está para nascer um santo...

terça-feira, novembro 29, 2016

Um passo mais perto

Já estive a imprimir a versão final do livro para registar na IGAC. Parece que o processo está cada vez mais perto do fim, mas nunca mais acaba de acabar. Sou paciente.

Porno?

Alguém em roupa interior justa é porno? A "portugalidade" lida tão mal com o corpo. 

segunda-feira, novembro 28, 2016

Café Society

Embora o filme faça um ensaio, por vezes eloquente, da dicotomia materialismo vs espírito, não chega a fazer o arranque para algo mais substancial. Mais uma vez penso que tive o problema dos personagens, não gostei de nenhum deles. Não consegui estabelecer um vínculo o que me distancia enormemente daquilo que estou a ver. Como ponto positivo posso ver as fragilidades do filme e do argumento, como as próprias fragilidades da condição humana cuja demonstração, penso, faz parte dos objectivos do filmes. As personagens falhas, são no final humanas, assim como realizador é humano. Não penso que seja uma grande narrativa contudo. Fiquei desiludido.

13/20


Dica

Os rebuçados Ricola de flores de saúco e flores de sabugueiro são estupendo. Cheiram bem, sabem bem e aliviam/refrescam a garganta .

quarta-feira, novembro 23, 2016

Papel higiénico em Estocolmo

Não é nada eficaz. Não limpa bem. É escorregadio. (conversa de merda)

terça-feira, novembro 22, 2016

E já é noite

São 15.35 na Suécia e é praticamente noite. Não é possível. Eu a trabalhar numa sala com má iluminação e quase cego. Como é que os suecos vêem? Eles têm de ver com infravermelhos. Só pode. 

Simetria

Sempre gostei das coisas simétricas e depois de há uma semana e tal ter feito uma ferida no joelho direito quando me espalhei no chão, foi a vez de ontem ter feito um ferida no joelho esquerdo com uma pancada enorme que dei no aeroporto. Por este andar não escapo ao Calcitrin...

Estocolmo

Faz 15 anos desde a última vez que estive aqui e agora que voltei a noite cai pelas 15h da tarde e estou em reuniões sempre até ás 16h. Isto é que é azar. 

sexta-feira, novembro 18, 2016

Eu partilho completamente a opinião



O mundo precisa de mais humanidade e de menos Kardashian wannabies (e já agora de menos Kardashians também).

Não deixo de achar este momento arrepiante



Especialmente por ter em conta que todas as pessoas no palco são sobreviventes de ataques sexuais que resultaram em violação.

Silvestre tricota - Os três gorros já feitos


quarta-feira, novembro 16, 2016

Perspectivas

Onde um vê uma coisa, outro vê outra coisa. Depois o corresponde logro de expectativas. É bom ter visões diferentes, mas às vezes um visão comum ajudava um bocadinho. Até nas coisas mais simples como a compreensão de uma história após a sua leitura. Eu eu vi potencial dramático, alguém viu apenas sexo. Onde eu vi uma pessoa em stress emocional, alguém viu um motivo para se masturbar. É senso comum que experimentamos as mesmas coisas de forma diferente, mas nunca deixa de me surpreender o quanto.  

Say Lou lou... para uma manhã fria.



Maybe you - Say Lou Lou

Silvestre tricota

A estação do Tricot começou lá em casa. Já vou no terceiro gorro e estou super contente com os resultados. Por este andar chego ao final do Inverno com uns 30 gorros. O que vale é que o natal está aí e sempre posso oferecer aos amigos.

terça-feira, novembro 15, 2016

O primeiro encontro

Finalmente um filme de extraterrestres que não são invasores e que não resulta numa guerra entre bons e maus com muitos tiros, manobras fantásticas de naves e efeitos especiais. Sem querer adiantar muito mais sobre o argumento (para não estragar a surpresa), gostei imenso do carácter filosófico existencial do filme, assim como da utilização de princípios não humanóides para a caracterização dos alienígenas e da sua estrutura e cultura. Mais uma vez o tempo (ou o entendimento do tempo) aparece como um elemento fulcral nos aspectos evolutivos. Um filme para os olhos, mas fundamentalmente para o espírito. 

16/20

ps. há uma pequena porção do filme que explica (sem intenção) o fenómeno Trump e outros fenómenos de ascensão das direitas e extremas direitas um pouco por toda as sociedades ocidentais. 

segunda-feira, novembro 14, 2016

Pop super giro e tal...




Brand New Moves - Hey Violet

Pensamento do dia


Filha da mãe... II

A ex-coordenadora passiva/agressiva volta e meia manda uns mails para todo o departamento informando de acções que são muito importantes de acordo com a sua consciência humana. Mandou um email em que dizia «Caros colegas, tenho estado a pensar...» e depois a informação. Passados uns 20 minutos uma das minhas colegas mais velhas, responde para todos «Obrigado pela informação, mas não necessito porque já vi tudo neste site», e enviou o link do texto que era palavra por palavra o que a outra tinha escrito. O plágio não é bonito em si, mas uma pessoa escusava de passar por este tipo de vergonhas. Quem se põe a jeito...

Filha da mãe...

A minha ex-coordenadora passiva/agressiva (digo ex porque passei a falar directamente com a directora fazendo um bypass sobre ela) chegou hoje e comenta com uma colega «o Silvestre hoje veio muito cedo». Na semana passada, cheguei dois dias depois dela. Regra geral, chego 20-40 minutos antes que toda a gente. O que vale é que uma colega lhe respondeu «o Silvestre chega sempre antes de toda a gente, mas é natural que não vejas». Para bom entendedor... 

sexta-feira, novembro 11, 2016

Dor crónica

Fiz há dois dias um exame que indica que vou continuar com dor crónica na perna esquerda até ao fim dos meus dias (o que ainda deve dar uns 40 e tantos anos) . Não fiquei triste. Gosto de saber as coisas tal como são. No lado positivo, acho que os grandes desafios são dados para atingir novos patamares. 

Hoje atirei um brutal tralho no chão

De manhã fui meter gasolina na mota. Quando vim de pagar, tropecei numa pedra saliente e dei um brutal tralho que me esmurrou o joelho e as mãos e fiquei com as calças rotas. A primeira coisa que pensei foi "ainda bem que não caí a andar de mota". É curioso como de repente associo ao andar de mota todas as experiências perigosas que podem colocar em perigo a minha integridade física e esqueço-me de coisas tão básicas como cair a andar.  

Coisas desconhecidas

Conheci uma rapariga argentina (em Helsínquia) que me disse que fotografa todas as tampas de esgoto que encontra por onde passa. tem uma colecção enorme. Disse-me que cada uma tem aspectos específicos de numeração ou letras e pode saber-se a sua origem e através disso saber sobre movimentos migracionais, entre outras tantas coisas. nunca mais vou olhar para uma tampa de esgoto da mesma maneira.

quinta-feira, novembro 10, 2016

Achei graça

 as president feels like when Umbridge became master of Hogwarts after Dumbledore.

by Twiter user

Sou um alarve

O que acontece quando as castanhas só estão assadas depois do namorado ter adormecido e não se querer levantar? Come-se um quilo de castanhas sem dizer ai... a não ser, "ai que boas".

quarta-feira, novembro 09, 2016

Porque o momento é fácil para gozo...


Ó meu Deus... eles não sabem o que fizeram - II

O meu post anterior foi uma reacção simplista a algo que pode ser debatido com profundidade, mas no blogue iria demorar muito tempo a escrever todas as ideias dos processos sociais e problemas sociológicos adjacentes. Prefiro fazê-lo ao vivo (não me doam os dedos). Alguém me chamou a atenção para o facto da expressão simples que utilizei contribuir para a massa inflamada e não para a massa informada (ambas contra Trump logicamente).

Ó meu Deus... eles não sabem o que fizeram.

E como é que haviam de saber. Eles são burros que nem uma porta. Viva os Americanos!!