quarta-feira, março 22, 2017

terça-feira, março 21, 2017

Roubaram-me uma peúga

Hoje no ginásio roubaram-me uma peúga usada. Já não é a primeira vez que me roubam algo relacionado com os pés. Não deixa de ser curioso.

Cineminha

Acho que hoje vai uma dupla em português.

segunda-feira, março 20, 2017

A Bela e o Monstro

Andei meses há espera de finalmente ver a estreia da versão "carne e osso" de «A Bela e o Monstro». Apesar de achar que a Emma Watson não é assim tão bela para ser «a Bela», acho que foi um bom esforço. O Luke Evans, como Gaston, está excelente (mas ele dificilmente fica mal a fazer seja o que for :-p). Depois tudo o resto é extremamente competente. Contudo, quando vamos ver este tipo de filmes não estamos à espera de "competência", estamos à espera de magia, ilusão, fantasia e sonho. Para tirar as teimas fui revisitar a versão banda desenhada de 1991 e, sem sombra de dúvida, o Lumiére, o Monstro, a Ms. Potts, o pai da Bela, eram todos personagens muito mais fortes. Ficou aqui algo pela rama. 

15/20 

Explosões em Bruxelas

É uma coincidência meio macabra mas, pelo segundo ano consecutivo, 3 dias depois de eu voltar de Bruxelas dá-se uma explosão. Não me deixa muito descansado saber que tenho de voltar lá brevemente. 

Aquela altura do ano

Chegou aquela altura do ano em que eu não vou vestir a roupa de que mais gosto, mas sim a roupa em que menos se nota o pêlo do gato. 

segunda-feira, março 13, 2017

A voz lembra-me a Gwen Stefani



Lost on you - LP

Gosto bastante deste "feeling western" associado à canção. Há qualquer coisa de nostálgico sem ser country . E de início pensava que era a Gwen Stefani influenciada pelo namorado. Afinal não é.

quinta-feira, março 09, 2017

Decoração hurts

Quem me diria que seria tão difícil escolher a porcaria de um papel de parede. E o meu olho puxa logo para o mais caro...grrrrrrrrrrrr.

quarta-feira, março 08, 2017

Distanciamento

A propósito das minhas colegas estarem sempre a dizer que o meu namorado é muito bonito e eu ter dificuldade de ter uma objectividade imparcial, finalmente fui capaz de ver "de fora". Estávamos no Monumental e eu fui pedir dois cafés. Distraí-me a olhar para garrafas e quando olhei de volta para as mesas, esquecendo-me que ele estava ali sentado. de facto vi um rapaz muito bonito que se destacava no meio dos outros com aquele sorriso de pessoa boa. Elas têm razão. 

O Universo

Diz que o universo conspira a favor de quem não conspira contra ninguém. Eu acho que o universo conspira a favor de quem percebe que é uma parte do universo e está consciente de todas as outras partes.

segunda-feira, março 06, 2017

Surpresa

Eu que pensava que a minha scooter gastava horrores, fiquei a saber que está a consumir abaixo dos valores apontados pela marca para os 100km. Cool.

Limão, doce Limão



A minha fera tem quase 3 anos e continua este selvagem que se vê na foto...not!

Ainda os Óscares

Há muita gente que acha que o Moonlight não devia ter ganho o Óscar de melhor filme. Há muita gente que acha que sim. Ontem assisti a uma discussão amarga em que uma pessoa defendia o Vedações como melhor opção do que qualquer um dos outros filmes. ouvi outras discussões mais ou menos calorosas que defendiam outro dos nove filmes no lote de nomeados como o melhor. Algum de nós haverá de ter razão, mas na realidade não interessa nada quem tem razão. As emoções que ficaram com a pessoa que viu um filme e o defende como melhor é que importam. Tudo o resto são opiniões e como dizia a saudosa Rute Remédios... As opiniões são como as vaginas: cada um tem a sua e quem quiser dá-la, dá-la.

Mai' nada!

sexta-feira, março 03, 2017

Vedações

Não posso dizer que é um filme fácil e é um pouco diferente do que inicialmente imaginei, penso que essa descolagem entre o que pensava ser e o que é em termos de diálogos deriva de ser uma adaptação de uma peça de teatro. Nota-se muito nos diálogos do personagem principal. Posto isto, há que dizer, primeiro, que no filme há um magistral desempenho de dois excelentes actores Viola Davis (das minhas actrizes preferidas) e Denzel Washington, segundo, que o filme é sobre emoções e tensões. Em qualquer um dos está latente essa tensão do que se é vs. o que se poderia ter sido. O ajuste de ter de se viver como se é e com aquilo que se tem. Cada personagem procura a sua verdade ou é forçado a viver com a verdade da sua realidade, nem sempre fácil e até, de alguma forma, amarga. cada um sobrevive como pode e tenta ser fiel ao seu coração. Além da história dos personagens, há também a história da família que engloba os mesmos e as novas tensões dessa relação familiar.

16/20

quinta-feira, março 02, 2017

Homossexualidade e Heterossexualidade - Uma analogia


Guilty Pleasures III




Touch - Little Mix

Não sei o que é que se passa comigo, mas esta música não me sai da cabeça. Não é normalmente o tipo de música que me ponho a ouvir, mas o ritmo "tropicaliente meets R&B" dá-me a volta. Pronto, assumo o meu lado azeiteiro e até gosto do vídeo minimal às risquinhas...

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Porque é que eu tenho tão mau feitio?

Acabei de sair de uma reunião de trabalho na qualidade de observador. Na próxima estarei na qualidade de coordenador dos trabalhos e terei de lidar com cerca de 50 cientistas e CEOs de empresas. A julgar pelo que vi hoje tenho de tomar uns 20 calmantes. porque não tenho paciência nenhuma para Egos e Síndrome de Calimero dos investigadores. Estamos a tentar fazer uma coisa boa e a trabalhar em conjunto. Quando somos autónomos, somos acusados de não ouvir a comunidade, quando chamamos a comunidade científica, temos de estar aturar lições de trazer por casa e discursos de "o meu é melhor que o teu", "eu represento mais pessoas", "nós somos reconhecidos internacionalmente", "vocês têm de ter cuidado com as vossas definições semânticas".

Curiosamente as pessoas efectivamente mais importantes na área científica de hoje, foram cordiais e elegantes e disponíveis para trabalhar. Os outros apeteceu-me mandar à merda. E saí antes da hora porque estava a revirar os olhos e isso não é bom para a imagem da casa. Quando for o coordenador não poderei sair antes da hora. Vou começar já hoje a meditar.

quinta-feira, fevereiro 23, 2017

A grande muralha

Inicialmente não estava inclinado para ir ver, pensei que fosse outro "blockbuster hollywoodesco", mas a crítica do João Lopes do DN fez-me mudar de ideia. Gostei imenso. Tem toda a estética cuidada de um filme de época chinês, tem todos os ingredientes de acção de um filme americano e ainda tem uma estrutura narrativa bem cuidada. O filme visualmente é lindíssimo. é curiosa a junção de um aspecto de ficção científica ao histórico tradicional, mas está muito bem conseguido. Os personagens são credíveis e o resultado final é muito bom.

17/20 

Mulheres do Século XX

Este filme tinha tudo para eu gostar dele, contudo vi-o num cinema onde permitem pipocas e tinha de ambos os lados dois casalinhos de meninas que mastigavam de boca aberta e faziam uma barulheira enorme. As pipocas deviam ser banidas. O filem em si está estruturado de uma maneira muito interessante, mas exige a interiorização de estados emocionais. a absorção do significado dos silêncios, inflexões de voz e isso é difícil de fazer quando a única coisa que nos apetece é atirar os baldes de pipocas da pessoa ao lado para o chão. Acho que perdi o estado de espírito para ver um filme independente com uma narrativa alternativa e por isso não dou a pontuação que poderia ter dado. 

14/20

terça-feira, fevereiro 21, 2017

Fui ali à Tailândia

Aconselho a toda a gente e não é nada caro.

segunda-feira, fevereiro 06, 2017

Moonlight

Gostei mesmo muito. Tal como o «Manchester by the Sea» este filme centra-se na contenção e na recusa de sentir por parte do personagem principal. Não é um filme bonito porque fala de coisas feias, mas também nos deixa ver que nos terrenos mais inóspitos também há vida e pode até existir redenção. Nada é preto e branco. O filme explora alguns desses matizes. Gosto particularmente do Juan, o traficante de droga como personagem que explora as ambiguidades. Muito bem dirigido diria, apesar de uma certa estética de sedução (em partes) que talvez tivesse evitado, mas não são os meus olhos. O realizador quer mostrar o que é aquele personagem aos olhos do personagem principal.

18/20

LA LA Land

Dois actores que adoro, um estilo que gosto muito. Mas no fim de contas não me pareceu espectacular, apenas bom. Há alguns detalhes interessantes, mas depois de um Molin Rouge, verdadeiramente inovador, este filme teria de se "esforçar" um pouco mais. Foi uma tarde bem passada, mas fiquei com a ideia que não é nada de muito especial. Não reinventa, é um prato de nostalgia servido com o look dos nossos dias.


14/20 

quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Quando um amigo te faz rir

Hoje sofri um choque enorme ao perceber que fui enganado pelo meu operador. Não é normal ter dores crónicas, mas fiquei a saber porque e que foi uma informação que me foi sonegada. Já discuti aqui que a minha vida mudou bastante e que perdi muita da minha actividade derivado às limitações e às dores, desporto e dança tornou-se impossível e ginásio só deitado ou apoiado. 

Quando soube que me tinham enganado. Apesar dos meus quase 43 anos e do topo da minha frustração não conseguia aguentar as lágrimas. Sentia-me como um cão daqueles que os donos abandonam num lugar qualquer e eles ficam totalmente desorientados porque não conseguem reconhecer onde estão e não se conseguem situar. Eu queria situar-me e não conseguia.

Hoje a contar a um amigo meu o que se passou disse-lhe «eu sei que pareço uma menina, mas hoje de manhã até chorei» e ele respondeu-me «podes parecer uma menina, mas minhota, com muito pêlo». Ainda consegui soltar uma gargalhada.

Se tudo correr como esperado. na próxima semana entro de férias e quando voltar começa uma nova etapa. Perceber se uma nova operação resolve e quem deverá fazê-lo. E seja o que universo quiser.

quinta-feira, janeiro 19, 2017

Carreiras na Função Pública

Nem tudo é o que parece e é curioso como as pessoas têm um duplo padrão de comportamento, mediante aquilo que os beneficia ou lhe garante vantagens. Quando tudo caminha para unificação de carreiras (ou tem caminhado) aparece um grupo de pessoas detractor da diferenciação, mas que é totalmente contra as carreiras únicas desde que façam parte da nova carreira com benefícios adicionais. A coerência dignifica. Há alguém um bocadinho manchado cá para os meus lados.  

Manchester by the Sea

Adorei o filme e adorei a forma como o Casey Affleck representou um homem partido por dentro, vazio, com a alma quebrada. O filme é lento e com pouco movimento, mas aí reside o sucesso e o brilhantismo do argumento -a contenção. É sobre emoções, sobre viver todos os dias a fazer coisas comuns que toda a gente faz, há um realismo muito grande. Parece quase uma não actuação. É triste, é interior, mas gostei muito. 

18/20