domingo, janeiro 25, 2015

A remexer na arca dos beats curtidos



Change - Daniel Merriweather

Fun fun fun

Ontem tive uma noite maravilhosa como deve de ser. Um belo jantar com amigos e depois uma saída bem gira pelo Bairro Alto. É oficial gosto mesmo do Salto Alto e da dose massiva de música pop em contraste com o que se ouve agora por aí. Foi mesmo o que estava a precisar. 

sexta-feira, janeiro 23, 2015

"Everybody's Free (To Wear Sunscreen)" ou compreender a vida, ainda hoje.




Sing.
Don't be reckless with other people's hearts.
Don't put up with people who are reckless with yours.

Enjoy your body.
Use it every way you can.
Don't be afraid of it or of what other people think of it.
It's the greatest instrument you'll ever own.

Dance.
Even if you have nowhere to do it 
but your own living room.

Read the directions
even if you don't follow them.

História - Dia 24

Fogo, que grande vai a história.
Várias coisas me vêem à cabeça: psycho, alien, squizo, weirdo.
Uma garrafinha de oxigénio, se faz favor.

quinta-feira, janeiro 22, 2015

The Little Prince


Podia estar mais bem conseguido... mas cumpre o propósito.

Tenho de começar a usar o cacilheiro a ver se me acontece.


Quando revejo este vídeo penso que estou a ver a história daquilo que sempre sonhei para mim. Mas por enquanto é apenas isso, a história do que sonhei. Dizem que o sonho comanda a vida, porque não tornar-se realidade. Qual a probabilidade de ser atingido por um raio num país onde não há tempestades eléctricas? Mesmo assim já aconteceu. O sonho comanda a vida.

Ps. Tenho de começar a usar o cacilheiro porque de acordo com o guião do vídeo os Ferry Boats são propensos ao encontro de histórias de amor. 

quarta-feira, janeiro 21, 2015

Speedy the Turtle?




Have u?

It's only half past the point of oblivion
The hourglass on the table, the walk before the run
The breath before the kiss, and the fear before the flames
Have you ever felt this way?

Essência de Baleia

Na minha última consulta de essências vibracionais (ou florais como são conhecidos os tradicionais de Bach) a essência que mais impacto me causou foi a essência de Baleia. A energia da baleia diz estes animais são os guardiões do conhecimento, a elo com a energia colectiva. Nós em relação ao mundo e o mundo em relação a nós. Viver à altura do nosso propósito. «Conecta-te ao todo e não te esqueças de quem és». É a segunda vez que a tomo depois de trabalho continuo com a essência de Golfinho. 


segunda-feira, janeiro 19, 2015

Gosto.

«I like to see people reunited, maybe that’s a silly thing, but what can I say, I like to see people run to each other, I like the kissing and the crying, I like the impatience, the stories that the mouth can’t tell fast enough, the ears that aren’t big enough, the eyes that can’t take in all of the change, I like the hugging, the bringing together, the end of missing someone».

by Jonathan S. Foer

sexta-feira, janeiro 16, 2015

Partilhas Intímas II

Não durmo com almofada desde os 17 anos. Se a uso é meio caminho andado para eu não conseguir dormir. 


ps. ó Zehtoh, merece Absinto? :-.p

Partilhas Íntimas I

Nunca escalfei um ovo.

quinta-feira, janeiro 15, 2015

Este gato está lindo!


Já descobriu como saltar para cima do frigorífico que era o único lugar sagrado da casa. Pronto, a comida agora tem mesmo de estar trancada.

quarta-feira, janeiro 14, 2015

Onde estava o Wally?


Bolas

Mas tem tudo de ser complicado? Só me saem duques. E eu a pensar que tenho a mão cheia de ases e manilhas. A ver se o baralho tem lá algo escondido.

terça-feira, janeiro 13, 2015

Riscos


Cotovelos

Há pessoas que olham demasiado para o seu umbigo. Eu desde que descobri os meus cotovelos não olho para outra coisa. Não gosto nada deles. Quem me mandou olhar para o espelho da aula de cycling...

segunda-feira, janeiro 12, 2015

domingo, janeiro 11, 2015

História - Dia 11

Que sensação de plenitude. É isto.
Espera. Tranquilidade. O que são uns meses no meio de anos?

quinta-feira, janeiro 08, 2015

quarta-feira, janeiro 07, 2015

Medo

Efectivamente o meu maior medo é a cabeça das pessoas. Não se sabe o que realmente pensam e/ou sentem. Fazemos apenas uma ideia. Por trás de um sorriso pode esconder-se uma coisa completamente diferente. Por trás de uma cara neutra pode haver algo que é tudo menos isso. Talvez tenha havido um tempo em que as coisas eram o que eram. Hoje (ou se calhar sempre foi assim) as pessoas têm muitos subterrâneos. Eu gostava de pensar que o que há a mais são andares luminosos. Aliás, gostaria que as minhas surpresas fossem sempre nesse sentido, descobrir sótãos cheios de luz e não caves mal iluminadas onde não sabemos onde vamos tropeçar e bater com os dentes. 

Espero por isso que a minha intuição seja uma amiga e que o meu bom senso esteja presente quando os aspectos iludidos da minha personalidade falarem mais alto. Ao longo da vida não tenho tido muitos azares desses e os que tive foram na sua grande maioria ultrapassáveis. Apenas dois ou três se converteram em coisas muito problemáticas e desagradáveis.

Estou numa altura da vida em que apenas quero paz e harmonia. Com pouca tolerância a pensamentos e acções negativas que não me provocam a reciprocidade. O quero dar é positividade, preciso por isso de conviver apenas com mentes e corações limpos de malícia ou intenções dúbias.

O meu maior medo é a cabeça das pessoas. No meu coração e na minha mente vai tudo bem. Sentir-me vivo, pacífico e verter essa alegria e serenidade sobre os outros é tudo o que quero. Não quero problemas que me façam querer fechar as portas e as janelas. Na minha casa há luz e as coisas são claras. Nunca fui bom em subterrâneos e a andar no escuro.


Vida

A vida expande ou encolhe na proporção da coragem de cada um.
by Anaïs Nin

terça-feira, janeiro 06, 2015

História - Dia 7

work, work, work, work.

Canção do dia para mim.



Our world it fell so quietly - The Irrepressibles

Idiossincrasias

O que acontece quando se junta um "gato" a um "cão". Nunca se sabe, verdade?

segunda-feira, janeiro 05, 2015

Impossíveis

Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez. 
by Jean Cocteau

Pois...


História - Dia 6

Todas as histórias têm um início e um fim. Umas são curtas outras muito longas. Umas tornam-se ténues, outras vão-se intensificando. Há na minha cabeça o desenho de uma história que tem 6 dias. Pode ser uma estrela contínua ou pode ser uma estrela cadente. Seja como for já ninguém lhe tira a existência. Já tem um lugar no espantoso mundo das coisas. 

um presente sem esperar



E eu feliz como uma perdiz.