segunda-feira, agosto 08, 2016

Lata do caraças

O meu ex ficou a dever 350 euros. E já lá vão quase 2 anos. Primeiro diz que não pode pagar-me porque tem de esperar até Setembro. Ok. Depois não pode pagar porque vai de férias para a Alemanha e precisa de dinheiro, depois não pode pagar porque vai visitar os amigos a Barcelona, depois não pode pagar porque vai a uma festa qualquer a Madrid. Quando lhe volto a pedir o dinheiro em Janeiro deste ano, pergunta-me porque é que lhe estou a pedir o dinheiro se eu nunca tenho dificuldades financeiras (só por acaso tive uns percalços, mas não tenho de lhe justificar nada) e depois lá me paga em Fevereiro metade e fica de pagar a segunda metade em Março, que depressa passa para Abril. Acontece que em Abril vai trabalhar para o Equador e não paga nada e agora já lhe pedi o dinheiro de novo, mas está de férias em Torremolinos e precisa do dinheiro para copos e diversão. Há malta com muita lata e eu ainda vou mas é pedir o dinheiro aos pais dele.

5 comentários:

Magg disse...

350 € durante 2 anos ? ... Ou seja ... não consegue por de lado nem 14,5 € / mês ... 48 cêntimos / dia ? ... ou ...

ele está a tentar ter ainda algum tipo de ligação contigo ?

Gabo-te a perseverança se fosse eu já tinha dito adeus aos euros ... Boa sorte.

Super Funky disse...

Lata é pouco...

Margarida disse...

a pergunta que se impõe: mas alguém ainda passa férias em T.?
a sério, agora, quando um casal se separa, sobram as amarguras e tudo o que de mal aconteceu vem ao de cima.
achas que ainda vai pagar, pelo modo como te tem respondido?

silvestre disse...

@magg: não quer ter nada comigo. é apenas uma pessoa brutalmente auto-centrada e ele está primeiro. É mais forte do que ele. Mas separamo-nos amigos. Não houve chatices. A não ser esta a posteriori

silvestre disse...

@margarida: no caso separamo-nos com uma grande amizade. A dita viagem até foi quase a nossa despedida da relação uma vez que não dava para continuar por ser uma relação entre países. Mas depois dessa viagem. As coisas começaram a azedar quando me disse a primeira vez que ia de férias para Berlim e que precisava do dinheiro e por isso não podia pagar.