quinta-feira, janeiro 23, 2014

Mas isto está a acontecer comigo? (parte II)

Fui à agência. Ia bastante desconfiado. Nunca me tinha acontecido uma coisa destas e podiam ou estar a tentar engatar-me ou estar a gozar com a minha cara. Felizmente, nem uma coisa nem outra. Explicaram-me a diferença entre "modelos" e "real people" e que para além de uma taxa de inscrição para sermos agenciados, num valor nada excessivo, ficam com 20% dos trabalhos que arranjarmos pelo agenciamento. Aconselham a fazer um trabalho de fotografia profissional a quem não o tem (para aumentar as probabilidades de ser escolhido por um cliente), que seria feito dentro da Agência pelo fotógrafo deles e que custaria 125 euros (por 2 looks) ou 195 euros (por 4 looks). É opcional.
 
Fiquei a saber que o mercado publicitário anda à procura de pessoas com mais de 30 anos e pessoas de raça africana, com uma imagem forte e credível. Gostaram da minha voz e fizeram um cumprimento ao meu sorriso e à minha forma física aos (quase) 40. A partir do momento que estamos a ser agenciados, é uma roleta russa. Sempre que pedem um "modelo" dentro das nossas características, as fotografias serão enviadas e depois é cruzar os dedos para ser escolhido.
 
Disse que ia pensar, mas vou fazê-lo. Levei uma nova redução no ordenado e se sair alguma coisa penso que vai ser um belo complemento. Continuo a achar isto um pouco estranho. Não estou deslumbrado e o meu investimento na coisa é mais económico que outra coisa. Não obstante, decidi que vou oferecer-me um trabalho de fotografia profissional como prenda de anos antecipada. A irmã de uma amiga é profissional da fotografia e vai ser uma bela forma de celebrar o ano de entrada nos 40.
 
No meio disto ainda tenho de costurar dois kilts e acabar de rever o livro que escrevi (que não lhe pego desde Agosto) e terminar os ensaios de canto ensamble para a audição final e trabalhar num projecto musical electrónico low-fi. E por último, mas não menos importante e até prioritário, ser feliz e disfrutar da vida. 

12 comentários:

Eolo disse...

Acho que não perdes nada em arriscar e é sempre uma experiência diferente.

M. disse...

entrar assim nos 40 é bem bom.
em tempos eu pensei que inscrever-me numas daquelas agências de pessoal que bate palminhas nos programas da manhã, por motivos financeiros, mas pensei melhor... não aguentaria nem um dia.

um coelho disse...

Independentemente do que vier, o book é sempre uma excelente oferta para o próprio, ainda para mais a entrar nos 40 e com o ego tão em alta lol ;)

Ricardo - Uma Outra Face disse...

Então que sejas feliz e disfrutes da vida :)

Quanto aos kilts, são para os looks? :P

silvestre disse...

@margarida: já fui bater palminhas a concursos, mas pagavam só 25 euros nessa altura. Comia-se de borla e o bom era poder rir com os amigos que também iam.

silvestre disse...

@ricardo: os kilts são um desejo pessoal de há bastante tempp. Acho cool para sair à noite. E finalmente decidi-me. Espero que fiquem bem, vou seguir o modelo dos do IADE.

Ricardo - Uma Outra Face disse...

Eu acho óptimo. E sabes que são para usar sem nada por baixo, certo? :D

silvestre disse...

@Ricardo: Sei, mas não gosto de andar a badalar, assim que no mínimo terei uns jock straps vestidos ;)

Ricardo - Uma Outra Face disse...

Ai. E mais não digo...

Lobo disse...

Uma pessoa vem ler os comentários e comentar a seguir e leva com o "badalar" nem sabe o que dizer de seguida, porque parece que já foi tudo dito lololololol

Acho a ideia do book muito gira. Também ando a pensar em fazer um, mas com o meu mano :) Como dizem que somos parecidos, às vezes gémeos, era uma ideia engraçada :)

E também não perdes nada, acho eu. Assim como assim, se vier é na boa, se não vier, estás descontraído e sem "stress"! Aproveita :P

João Roque disse...

Excelentes planos de vida e visão optimista dos quarenta anos que se aproximam.
Se todos pensassem e agissem assim, o mundo seria certamente mais feliz.
Os meus sinceros votos de que concretizes essas metas.

silvestre disse...

@joãoroque: Obrigado! :)
vou andar de dedinhos cruzados para a coisa ir de feição.