quinta-feira, dezembro 10, 2015

Árvore de Natal - Uma história de sobrevivência (dia 1)

O primeiro dia da árvore de Natal teve um saldo claramente positivo. Depois de levar umas quantas borrifadelas sempre que se aproximava da árvore, o Limão manteve-se a dois metros. Chegou, entretanto a hora dos donos irem para a cama e o caminho ficou livre. Não obstante, pela manhã, apenas estava uma estrela e um anjinho no chão. As fitas ainda estavam intactas. O futuro parece promissor.

5 comentários:

O Anfitrião de Lisboa disse...

Eu não deixo os meus sozinhos com a árvore...
No dia seguinte havia apenas resticios de algo.

Miguel R disse...

Em ultima instancia há aqueles sprayzinhos que afastam os gatos, borrifas a árvore e o limão não liberta o tigre interior ahah

Goodblog Badblog disse...

quando era pequeno, o nosso cão aprendeu a manter-se afastado da pior maneira, resolveu mordiscar as luzes e apanhou um valente choque... ficou bem mas assustado.

Margarida disse...

não seria boa ideia por aqui. se o césar pula para cima da porta do wc e lá fica quietinho, apesar dos seus 6,400 kg, nem quero pensar na árvore de 1,50m.
e agora tenho dois com o rabo quente em cima da velha TV (olha se eu tivesse um plasma...)

Magg disse...

Isso é bom sinal Silvestre. Significa que o Limão não está assim tão interessado. Se estivesse, pela minha experiência, a árvore já era :) .