quarta-feira, fevereiro 03, 2016

Decisões arriscadas

Este ano vou tentar o The Voice. Isto acontece 19 anos depois de um outro concurso e 15 anos depois de ter deixado de trabalhar com música. Gostava de voltar a trabalhar com canções. A ideia de ter uma banda ainda não está posta de lado, mas se não conseguir o The Voice é a alternativa que se segue. 

Se der certo, o que espero tirar daí é poder escrever canções. Cantá-las não é assim tão relevante e a carreira musical até a dispensava, a não ser que os espectáculos (a existirem) nunca acontecessem para mais de 300 pessoas.

A ver o que acontece. Se a banda aconteceu deixo esta ideia de lado, ou talvez não. Sempre quebra a rotina.



2 comentários:

Joaquim Gomes disse...

Acho fantástica a iniciativa. Devemos sempre seguir aquilo que nos deixa felizes. Sou contabilista de formação mas fotógrafo de coração. Tenho-o vindo a fazer cada vez mais e tenho tido contratos que, aos poucos e poucos, me fazem querer abandonar um outro trabalho que gosto mas que não adoro. Não tem sido fácil lidar com o equilibro de certas coisas mas acabei sempre por decidir ir pelo caminho que julguei fazer-me mais feliz e, até agora, não me posso queixar. Boa sorte para tudo :)

Goodblog Badblog disse...

não percebi se concorreste ou não. Se fores, avisa a malta que queremos apoiar-te e ver o Silvestre ao vivo. Boa sorte nesse teu objectivo!