sexta-feira, janeiro 06, 2017

Alegrias no trabalho

Trabalho com investigadores e confesso que o tempo me tem feito ter uma impressão cada vez pior dos mesmos. Claro que falo em termos genéricos, com tudo o que isso implica, mas na minha experiência profissional chego à conclusão de que em cada 100 temos uns 35 que não são PhD pedantes/auto-centrados e/ou obtusos e 65 que o são. 

Tenho enviado para múltiplas reuniões internacionais investigadores portugueses (com tudo pago) e  hoje pela primeira vez recebi um relatório de missão a que se pode chamar um relatório de missão. Não só fiquei a saber exactamente o que se passou na reunião com detalhe como ainda tenho sugestões e informações adicionais sobre passos futuros e implicações/oportunidades para o país. Ainda se disponibilizaram a ter uma reunião face a face para esclarecimentos adicionais. Essa reunião acabou há 10 minutos e estou com um enorme sorriso no rosto. Estes fazem parte dos 35 que são bons investigadores e que recebendo dinheiro público prestaram um serviço público e não (apenas) um serviço a si mesmos. 

Até me apeteceu encher-lhes as bochechas de beijos, pelo bem impressionado que fiquei. mas creio que não seria muito profissional :-p 

3 comentários:

Margarida disse...

aí no início dos anos 2000 fui a uma primeira workhop na comissão europeia e achei aquilo fraquinho comparado ao que eu costumava trabalhar (até na faculdade), quero dizer, workshops, grupos de trabalho, discussão e bláláblá e o que valia eram os contactos por fora e a troca de experiências e por aí. e depois, em 2009, mudei de serviço e fui a mais uma workshop (cá) e o modelo era igual e não vi grandes mudanças. mas é verdade que o que tem a ver com a alteração de comportamentos tende a demorar, talvez só daqui a uns bons anos (décadas) tenhamos bons números naquela área.

Anónimo disse...

bom dia Silvestre,
sou investigador e espero fazer parte dos tais 35... não me passa pela cabeça sequer ir a uma reunião dessas sem os dito relatório com os items aqui referidos. Aliás se não o fizeres a instituição não te reembolsa das ajudas a que tens direito.
abraço
joão

silvestre disse...

Olá João. Talvez a minha instituição tenha de implementar esse sistema (de reembolsar apenas com relatório entregue) ou recusar-se a aceitar relatórios de missão com 1 página. E fico sempre feliz por conhecer pessoas pertencentes aos 35 :)