sábado, julho 04, 2015

O puto

Havia pelo menos 3 pessoas atrás do actual namorado no meio onde nos conhecemos. Eu não achava piada a "putos", por isso, para mim, ele era apenas o miúdo pouco falador dos lábios bonitos. Começamos a falar mais do que «boa-noite» no início de Dezembro, quando depois de termos estado na mesma equipa a jogar, ele me adicionou ao Facebook. Apanhou-me num dia particularmente vulnerável, em que eu dissertei sobre a inexistência de pessoas que quisessem uma relação e soubessem o que isso era. Foi aí que se fez luz para ele. 

Até ao momento, porque estou sempre a fazer piadas e não tenho preconceitos com o corpo, ele pensava que eu era um gajo com a mania que era bom e que queria comer tudo e todos (continuo a achar muito estranho que as pessoas pensem que alguém tem a mania só porque não é pudico e recatado), ficou desconfiado e resolveu convidar-me para café. 

O café correu bem, comigo a ser bastante paternalista com ele e, de forma discreta, a tentar dizer-lhe que devia ter os olhos mais abertos para o mundo gay e para o que as pessoas eram capazes de fazer para ter aquilo que desejavam. 

Fiquei com uma boa imagem do "puto", tinha bons sentimentos e era ingénuo como o caraças. E ele ficou a perceber que eu era um tipo de gostos simples apesar da imagem de "convencido". Continuamos a falar, trocar opiniões e eu interessei-me por um rapaz e ele por outro (apesar de ambos termos levado um banho no que respeita ao que pensávamos das pessoas a que nos dedicámos). 

Dois meses depois, eu tenho o problema de coluna e ele vem-me visitar. Ficamos 12h a conversar, desde as 22h da noite às 10h da manhã do outro dia. Ele ficou com a ideia de que eu poderia ser o homem que ele procurava. Do meu lado achei que ele até queria as mesmas coisas que eu, mas era apenas um "puto" de 25 anos. Ele meteu as cartas na mesa e eu rejeitei a ideia porque ele era muito novo e não fazia sentido para mim, a menos que ele tivesse mais uns 5 anos. "Trabalhou-me" durante 9 dias a dizer-me que eu iria descobrir que ele era muito mais adulto do que eu poderia imaginar.

Vamos a caminho de 5 meses de vida em comum. Desde o primeiro dia que nos envolvemos, ele foi ficando e foi natural e simples. Às vezes parece mentira. O "puto" é a pessoa mais madura com quem já tive uma relação. Sabe perfeitamente o que significa e o que está em jogo. Ensina-me bastante também sobre o que é cuidar do outro a todos os níveis. Continua a ser pouco falador, mas um mestre nas acções. Ele não diz, faz. 

Não previa isto nem aqui nem na China, mas resulta e é bom. Sou feliz.

14 comentários:

SUPER disse...

Parabéns! :)

silvestre disse...

obrigado!

N a m o r a d o disse...

As pessoas por vezes têm a mania... e a vida ensinou-te bem :P

Felicidades aos dois :P

Eolo disse...

Fico feliz Silvestre.

Ricardo Uma Outra Face disse...

Parabéns. A vida tem a mania de nos dar as coisas que não imaginávamos nem aqui nem na china

Horatius disse...

Um post bonito sobre o amor :)

Wolverine disse...

Obrigado pela partilha.
Fiquei genuinamente feliz e levo mais algumas gramas de esperança num futuro a dois.
Godspeed you both!

Anónimo disse...

Parabens! Faco votos que continuem juntos por muitos meses e que estes se transformem em anos.

Zeg

No Limite do Oceano disse...

:-) Histórias dessas são como uma luz ao fundo do túnel, lá porque não acredito em muita coisa nesta vida, fico sempre feliz pelos outros.

Anónimo disse...

E que assim continuem por muito tempo! :) Parabéns!

neko-chan disse...

Parabéns! :)

zehtoh disse...

E esta história só vem comprovar como mais vale não ter ideias pré-concebidas sobre questões de idade ou outras quaisquer :) Apreciem o tempo juntos! :)

silvestre disse...

quem cospe para o ar acerta-lhe em cheio :))

Goodblog Badblog disse...

Muito bem e vem a calhar no seguimento do post
http://canseish.blogspot.pt/2015/07/culpem-os-criterios.html
do MiguelR